A GSA Association (Global Mobile Suppliers Association) confirma o total de 49 redes em vários países, incluindo Brasil, Porto Rico e Uruguai. A previsão da entidade é que ao final deste ano sejam 119 redes comerciais LTE em 50 países.

Dados integram a mais recente versão do relatório 'Evolution to LTE', onde se constata o lançamento comercial de 49 redes LTE (Long Term Evolution) em vários países, totalizando 285 operadoras que confirmaram o compromisso para implantação de suas redes LTE ou que irão se engajar em projetos pilotos, teste de tecnologia ou estúdio de viabilidade. O relatório cobre LTE FDD (Frequency Division Duplex) e LTE TDD (Time Division Duplex).

O estudo da GSA Association também confirma que outras 226 implantações comerciais estão em andamento (35% mais em seis meses) ou em projeto em 76 países, incluindo as 49 redes que foram lançadas agora. Outras 59 operadoras em 17 países estão firmemente engajadas nos testes e estudos com a tecnologia LTE.

As operações comerciais anunciadas mais que dobraram neste último semestre em 29 países, incluindo Alemanha, Arábia Saudita, Arménia, Austrália, Áustria, Bahrein, Belarus, Brasil, Canadá, Cingapura, Coreia do Sul, Dinamarca, Estados Unidos, Estônia, Filipinas, Finlândia, Hong Kong, Hungria, Japão, Kuwait, Letônia, Lituânia, Noruega, Polônia, Porto Rico, Suécia, Emirados Árabes Unidos, Uruguai e Uzbequistão.

Alan Hadden, presidente da GSA Association diz que “as operadoras de vários países, emergentes e desenvolvidos, vêm reforçando seus esforços rumo à Long Term Evolution. Em 2011 o número de investimentos na 4G mais que dobrou, assim como as operadoras que obtiveram seu espectro e as que foram capazes de reposicionar o espectro existente, particularmente na faixa dos 1800 MHz, para as implementações LTE”.

Número de redes LTE comerciais:
2009 = 2
2010 = 15
2011 = 29
2012 = 3 redes até o dia 3 de janeiro.

A previsão da GSA Association é que ao final de 2012, sejam 119 redes comerciais LTE em 50 países.

fonte: Convergncia Digital - Internet Mvel 3G - Emergentes investem no 4G