Página 1 de 2 12 ÚltimoÚltimo
Resultados 1 a 10 de 11
  1. #1
    WHT-BR Top Member
    Data de Ingresso
    Dec 2010
    Posts
    15,032

    Aeroportos brasileiros iniciam oferta de Wi-Fi grátis e ilimitado

    A novilingua dos petralhas ataca novamente.

    Quando grátis e ilimitado significa pago e limitado.

    Nove aeroportos brasileiros iniciaram nesta semana a oferta de Internet Wi-Fi gratuita e ilimitada aos passageiros. Na última quarta-feira o acesso à Internet sem fio foi liberado aos passageiros nas áreas de embarque dos aeroportos de Recife, Fortaleza, Galeão, Santos Dumont, Congonhas, Cumbica e Pampulha. Já na sexta-feira, os aeroportos de Brasília e Porto Alegre também passaram a oferecer a conexão.

    O serviço é de responsabilidade da Infraero, por meio de um acordo assinado com três operadoras (Net, TIM e Linktel) que fornecem o acesso Wi-Fi gratuitamente, em troca de publicidade nos aeroportos.

    Neste primeiro momento somente o serviço da TIM está disponível, as outras duas empresas ainda não possuem uma data definida para instalarem suas redes. Devido a essa limitação, a Infraero afirmou que essa primeira fase experimental irá durar sete dias.

    Em Cumbica, por exemplo, a rede poderá ser acessada por até 500 passageiros simultaneamente e em Congonhas a capacidade será para até 600 passageiros. Ambas as limitações seriam inferiores à demanda desses aeroportos, que costumam receber mais de mil passageiros por hora.

    Até o fim de abril, outros aeroportos também passarão a oferecer o serviço, como Manaus, Curitiba, Salvador, Natal, Viracopos e Confins.

    Como irá funcionar - A Internet livre não vai ficar disponível no aeroporto inteiro - somente na área de embarque, depois do raio X. Para utilizar o serviço, ao abrir o navegador o passageiro verá uma tela da Infraero e deverá preencher um cadastro. Para validar o acesso terá de inserir o número do cartão de embarque.

    No entanto, a Internet gratuita só poderá ser usada a partir do aeroporto de origem, ou seja: se uma pessoa viaja de Congonhas para Porto Alegre, por exemplo, só terá direito a usar a Internet no aeroporto paulista. Na volta, se quiser, pode pagar por mais tempo de conexão. Cada acesso único terá validade de seis horas.
    Aeroportos brasileiros iniciam oferta de Wi-Fi gr

  2. #2
    WHT-BR Top Member
    Data de Ingresso
    Dec 2010
    Posts
    15,032
    Não é um negócio da China? Da China dos comunistas, da corrupção, dos amigos dos amigos.

    Então a TIM & Cia terão publicidade grátis e cobrança de acesso garantidos pela Infraero?

    Onde que está mesmo o beneficio para os otários passageiros e contribuintes brasileiros?

    Quiquéisso cumpanhero? Também quero uma boquinha dessas.

  3. #3
    Moderador
    Data de Ingresso
    Oct 2010
    Localização
    Rio de Janeiro
    Posts
    2,679
    "Cada acesso único terá validade de 6h". Palhaçada (ou roubalheira), pois a principio, você só entra na sala de embarque com no máximo 3h de antecedência (é quando abre o check-in, antes do checkin vc não entra na sala de embarque), e isso considerando que em vôos nacionais as pessoas só fazem checkin com 1h-45min de antecedência. Só vai beneficiar mesmo a quem está com vôo atrasado, ou seja, vai transferir a responsabilidade do acesso grátis à internet (obrigatório após 1h de atraso no voo) para a Infraero, das mãos das companhias aéreas.

    Pode parecer injusto, mas até que é compreensível. A maior parte dos atrasos não é culpa das companhias aéreas (por mais que a justiça e a defesa do consumidor entendam assim), e sim da maldita Infraero com seus slots e trocas constantes de portões, e da ANAC e seus controladores de vôo que ficam fazendo filinha para avião subir e descer e segurando eles nos portões ou então trocando eles de portão para poder ganhar tempo.

    Outra parte boa é que ao menos a taxa de embarque caríssima está sendo empregada para algo útil aos passageiros.

  4. #4
    WHT-BR Top Member
    Data de Ingresso
    Dec 2010
    Posts
    15,032
    Citação Postado originalmente por cresci Ver Post
    Outra parte boa é que ao menos a taxa de embarque caríssima está sendo empregada para algo útil aos passageiros.
    Não concordo. O serviço "gratuito" está sendo cobrado e todos os passageiros estarão pagando a conta -- a receita da propaganda que poderia ser utilizada em beneficio de todos será destinada para "pagar" o serviço gratuito a ser prestado para alguns. Digo mais, a propaganda será exibida para todos, independentemente da qualidade do acesso e do número de usuários. Além disso, paga-se taxa de embarque no retorno também mas, nesse caso, as operadoras vão ter o direito assegurado de cobrar pelo acesso, criando um mercado para as operadoras. Como eu disse antes, terão propaganda gratuita garantida e rendimento com o acesso -- sempre existirá um número significativo de passageiros retornando, sem direito ao acesso "grátis".

    A taxa de embarque ficará intocada nessa jogada.
    Última edição por 5ms; 07-04-2012 às 19:31.

  5. #5
    WHT-BR Top Member
    Data de Ingresso
    Dec 2010
    Posts
    15,032
    A Internet sempre pode piorar ...

    Hotel’s Free Wi-Fi Comes With Hidden Extras





    Justin Watt, a Web engineer, was browsing the Web in his room at the Courtyard Marriott in Midtown Manhattan this week when he saw something strange. On his personal blog, a mysterious gap was appearing at the top of the page.

    After some sleuthing, Mr. Watt, who has a background in developing Web advertising tools, realized that the quirk was not confined to his site. The hotel’s Internet service was secretly injecting lines of code into every page he visited, code that could allow it to insert ads into any Web page without the knowledge of the site visitor or the page’s creator. (He did not actually see any such ads.)

    Mr. Watt posted about the discovery on his blog, and that soon spawned a conversation on Hacker News, a discussion site for tech topics, about the ethics of this technique. One commenter described it as “icky,” and another asked, “Why aren’t they putting ads in my pillow?”

    Mr. Watt had strong feelings about it himself. He said in an interview that he had never seen an Internet provider modifying Web pages that a person visits. “Imagine the U.S.P.S., or FedEx, for that matter, opening your Amazon boxes and injecting ads into the packages,” Mr. Watt said.

    A test of the Courtyard Marriott’s wireless network on Friday verified Mr. Watt’s claims. The code was embedded in the pages of several Web sites visited, including Reddit, GigaOM and TechMeme.

    The lines of code include references to “rxg,” which stands for Revenue eXtraction Gateway, a service aimed at generating money from Internet access points. On its Web site, a company called RG Nets, which makes Revenue eXtraction Gateway, explains that its system rewrites every Web page on the fly so that it can include a banner ad. “As you can see, the pervasive nature of the advertising banner on all Web pages guarantees banner advertising impression,” a narrator says in the video.

    An online store selling the hardware to provide this service even lists “Web experience manipulation” as a feature. It is not clear whether the technology is in use at any other Marriott hotels.

    The Courtyard Marriott’s marketing director referred inquiries to Marriott’s New York office, where a spokeswoman said she would have to talk to the national office. The automated phone system for RG Nets quickly hung up on calls, and the company did not immediately respond to an e-mail.

    Even though this ad-serving system was apparently not serving ads, it was the principle of the thing that upset the online critics. Mr. Watt said that the technique not only affected people browsing the Web, but also the content creators, because they would not get a cut of the revenue and their own ads could be blocked.

    “Imagine the hotel delivering complimentary issues of The New York Times to every room, except some articles have been accidentally blacked out, all the ads have been cut out, and on every page there’s a new ad that’s been stuck on top,” he said.
    Hotel's Free Wi-Fi Comes With Hidden Extras - NYTimes.com
    Última edição por 5ms; 08-04-2012 às 10:54.

  6. #6
    Super Moderador
    Data de Ingresso
    Sep 2010
    Localização
    Procurando...
    Posts
    4,106

    Wi-Fi gratuito atrasa e está disponível em apenas 9 dos 18 aeroportos prometidos

    Tempo limite de conexão passa de 15 minutos para 6 horas. Net e Linktel devem entrar no projeto.

    Se você achava que só os voos atrasam nos aeroportos do Brasil, está enganado. A Internet Wi-Fi gratuita prometida pela Infraero para março em 18 aeroportos do país também não chegou a tempo e foi instalada somente na semana passada. Dos aeroportos da lista, apenas nove estão com o serviço em funcionamento. Segundo a Folha, os aeroportos com sinal Wi-Fi gratuito são os de Cumbica (Guarulhos), Congonhas, Galeão, Santos Dumont, Pampulha (MG), Porto Alegre, Brasília, Recife e Fortaleza. Até o final do mês, a Infraero promete que o serviço será instalado também nos aeroportos de Viracopos (Campinas), Confins (MG), Curitiba, Salvador, Natal e Manaus.

    Agora o tempo limite de conexão passou de 15 minutos para seis horas e está disponível apenas na área de embarque para passageiros após a passagem pelo raio-X. Em troca, o usuário é submetido a algumas propagandas. Para acessar a Internet, é necessário se conectar à rede “INFRAERO Wi-Fi grátis”, abrir o navegador e preencher um cadastro que será validado com o número do cartão de embarque. A Internet será liberada apenas no aeroporto de onde parte o voo e não no destino final.

    Inicialmente apenas a TIM vai oferecer o serviço, mas em breve, segundo o Gizmodo Brasil, a Linktel e a Net também devem entrar no projeto que ainda está em fase experimental.

    link: http://adrenaline.uol.com.br/Interne...rometidos.html
    Siga-nos em nosso twitter: @wht_brasil

  7. #7
    WHT-BR Top Member
    Data de Ingresso
    Dec 2010
    Posts
    15,032
    No teste do Wi-Fi grátis, metade tem conexão

    Passageiros reclamam da velocidade da Internet e da falta de sinal, entre outros problemas

    Camila Brunelli e Nataly Costa - O Estado de S. Paulo

    SÃO PAULO - Depois de quase um ano de promessas da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), passageiros agora podem acessar a internet gratuitamente nas salas de embarque dos principais aeroportos do País. O Estado foi aos terminais de Congonhas, em São Paulo, e Cumbica, em Guarulhos, e pediu para passageiros testarem o Wi-Fi. Dos 12 clientes que tentaram acessar a rede, metade não conseguiu. Os testes foram feitos entre quinta-feira, 12, e sexta-feira, 13.

    Desde julho, a Infraero já liberava 15 minutos de conexão grátis antes do embarque. Agora, em Congonhas, Cumbica, Viracopos, Galeão, Santos Dumont, Recife, Fortaleza, Brasília e Pampulha, em Belo Horizonte, o acesso é ilimitado, desde que o passageiro tenha o número do localizador da passagem em mãos. Mas só funciona nas salas de embarque.

    Até o fim deste mês, a estatal promete Wi-Fi livre em todos os 13 aeroportos da Copa. Duas empresas oferecem o serviço por ora: Tim e Linktel. Outra contratada é a NET, que ainda não tem previsão para começar.

    Em Cumbica, o empresário Fábio Cruz, de 39 anos, que mora na África do Sul e estava em São Paulo a trabalho, tentou acessar a internet pelo celular na sala de embarque. Não conseguiu. "O celular detecta o sinal, mas a página de login não abre", disse.

    Uma vez conectado, é preciso fazer um cadastro de duas páginas antes de começar a navegar. A última etapa é fornecer o número do localizador, que serve como senha de cada passageiro.
    Mesmo conectado, o também empresário Alcino Moreira, de 25 anos, reclamou da velocidade.

    "Consegui, mas cai toda hora. Não abre nenhum site direito, está muito devagar." Outra dificuldade é na hora de achar o sinal do Wi-Fi: várias redes com nomes diferentes aparecem como disponíveis, mas o certo é clicar no "Wi-Fi Infraero Grátis".

    O filho da advogada Anna Maria Padjen, de 40 anos, conseguiu conectar-se normalmente em Cumbica. Ela, não. "Ele entrou. Eu não consegui nada."

    Congonhas. No Aeroporto de Congonhas, zona sul de São Paulo, a vendedora Janaína de Carvalho, de 33 anos, não teve sucesso. O mesmo problema aconteceu com o engenheiro Riel Klin: o sinal da rede não era suficiente para abrir nem o cadastro.

    O único passageiro a conseguir conexão em Congonhas foi o gerente de vendas Peter Domingos, de 48 anos. "Funciona direitinho."

    A Infraero diz que a operação está em fase inicial e vai analisar a resposta dos passageiros ao serviço. Recomenda ainda que os usuários que tiveram problemas com o Wi-Fi registrem a queixa no balcão de informações da estatal em cada aeroporto.

    No teste do Wi-Fi gr

  8. #8
    WHT-BR Top Member
    Data de Ingresso
    Dec 2010
    Posts
    15,032
    Essas trapalhadas da Infraero são ridiculas. Até ponto de ônibus já tem Wi-Fi grátis ...


    Rebouças passa a contar com Wi-Fi gratuito

    Oito paradas de ônibus vão oferecer Internet de graça aos passageiros; é necessário fazer um cadastro antes

    26 de março de 2012 | 3h 06


    O Estado de S.Paulo

    Oito paradas do Corredor Campo Limpo/Rebouças/Consolação passam a oferecer, também hoje, conexão gratuita de internet aos passageiros com celular ou laptop. Os usuários têm direito a ficar online por 15 minutos. Depois, ficam impossibilitados de utilizar o serviço por uma hora.



    Para conseguir entrar, antes é necessário fazer um cadastro com o número do CPF. A SPTrans não havia informado, até a sexta-feira, exatamente quais paradas do corredor terão a internet Wi-Fi.
    A universitária Teresa Márcia de Lima, de 28 anos, pega ônibus diariamente no corredor e acha a medida, aliada à nova possibilidade de consulta virtual dos horários dos ônibus, positiva. "Se funcionar direito, já haverá um parâmetro para saber quanto tempo devo ficar esperando no ponto."

    O técnico em informática Diego Sandoval Duarte, de 25 anos, também vê vantagens com as medidas. "Com a possibilidade da consulta, economizo tempo."

    O uso de novas tecnologias pela SPTrans não se restringe ao oferecimento de internet em paradas ou à consulta virtual dos horários de ônibus. Desde dezembro, Wi-Fi é testado no Terminal Santo Amaro, zona sul, nos moldes do que começa a ser colocado em prática hoje.
    Rebou

  9. #9
    Louco pelo WHT Brasil
    Data de Ingresso
    Dec 2011
    Posts
    168
    No aeroporto de Guarulhos no embarque internacional tentei experimentar o serviço. Primeiro problema: tinham um pouco menos de 10 hotspots cujos nomes se diziam ser o tal WiFi gratuito da ANAC/INFRAERO/GOVERNO. Ou seja, vários hotspots rogues para sniffar/roubar dados. Conectei em nenhum.

  10. #10
    WHT-BR Top Member
    Data de Ingresso
    Dec 2010
    Posts
    15,032
    Era só o que faltava ...

Permissões de Postagem

  • Você não pode iniciar novos tópicos
  • Você não pode enviar respostas
  • Você não pode enviar anexos
  • Você não pode editar suas mensagens
  •