Com cinco meses de operação na América Latina, a Amazon anuncia a marca de 40 clientes e parceiros na região.

Na lista estão nomes de peso, como a Sulamérica, com 6,7 milhões de clientes e lucro líquido de R$ 448,1 milhões no ano passado, e a Resource, que faturou R$ 260 milhões em 2011, e mira em R$ 364 milhões para esse ano.

Dentre os nomes revelados também estão a companhia aérea Avianca, entre os clientes, e outros parceiros como BRQ, RedHat e TrendMicro.

Além do Brasil, a empresa atua no México, Chile, Argentina, Peru e Colômbia.

BRIGA LOCAL
O portfólio da Amazon entra na briga com provedores locais de serviços similares, como a Locaweb, que atende Bauduco, Pfizer, Marítima Seguros e Pepsi no Brasil, e divulga um total de 3,9 mil clientes na nuvem.

Na terceira via da disputa está o UOL Diveo, com 100 clientes apenas em hospedagem dedicada, segundo números divulgados no final do ano passado.

CHEGOU A AMAZON
Em dezembro de 2012, a Amazon Web Services LLC (AWS), empresa da Amazon.com, lançou a nova Região América do Sul (São Paulo), com a disponibilização de datacenters locais para oferta de cloud computing.

Esse é o oitavo mercado geograficamente definido pela companhia para implantar sua plataforma global de computação em nuvem.

No Brasil, a AWS já atendia a clientes como Gol, que usa a nuvem para fornecer serviço Wi-Fi a bordo para seus clientes e para comunicação automática entre aeronaves; e Peixe Urbano, um dos 50 maiores sites de compras coletivas do mercado.

Também está hospedado no data center da AWS o R7, portal da Rede Record.

Para integrar novos clientes e parceiros, a empresa tem realizado, de forma discreta, roadshows voltados para gestores e profissionais de TI pelo país. A última edição foi realizada nessa terça-feira, 22, em Porto Alegre.

O case apresentado aos gaúchos foi o da Chaordic Systems, de Florianópolis, especializada no desenvolvimento de ferramentas de recomendação para e-commerce com alta escalabilidade, e usuária há três anos do AWS.

NA PARCERIA
Completam a lista de parceiros da empresa no Brasil: WDev, W5, MR2Tech, GlobalCode, Caelum, Ionatec, BRQ, Walar, PuntoX, eStorage Online/COdeo, iKewai, Discover, Logic Style, LabOne, TaxWeb, NSI NewSoft, Suse e W5.

No Chile, a empresa conta com a Orion e a In Motion. No Peru, a Cloudware. São mais dois na Argentina – ITZen e ITS – e a SCIO no México.

A chegada da Amazon Web Services no Brasil – parte da varejista Amazon.com, que faturou US$ 48,07 bilhões no ano passado – causou apreensão no setor de cloud brasileiro.
Cerca de um mês depois do anúncio da oferta no país, a Locaweb, por exemplo, reagiu à concorrente norte-americana com uma comparação nada lisonjeira entre os serviços.

Apesar dos ataques, os números mostram que a área de hosting da americana vai bem.
A receita foi estimada por analistas em US$ 500 milhões em 2010, e espera-se que ela feche 2012 com faturamento de US$ 1 bilhão. Até 2015, a previsão dos analistas é de uma alta de US$ 2,6 bilhões.

A empresa norte-americana não revela metas para a região.

link: Amazon: 40 clientes e parceiros | Baguete