Lançado em 26 de outubro, o Windows 8 está sujeito à infecção por cerca de 15% dos 100 grupos de malware mais utilizados em crimes cibernéticos este ano, mesmo com o Windows Defender ativado. A revelação foi resultado de testes realizados pela BitDefender.

Durante os testes, o Windows 8, com o Windows Defender funcionando, foi infectado por 61 amostras do total de 385 ameaças de malware mais populares.

Outras ameaças passaram despercebidas pelo Windows Defender, porém foram bloqueadas no momento da instalação. Outras conseguiram instalar-se no ambiente operacional, mas foram bloqueadas pelo Controle de Conta do Usuário (em inglês, User Account Control ou apenas UAC), de forma que nenhum payload (carga de transmissão de dados) foi acionado.

"Como forma de proteger o computador contra vírus, roubo de dados e outros tipos de malware, o Windows Defender é melhor do que nada", afirmou a estrategista chefe em segurança da BitDefender, Catalin Cosoi. "Mas não é tão eficaz assim. Alguns antivírus populares podem ser melhores. A conclusão é simples: usar seu PC sem uma solução de segurança é extremamente perigoso", concluiu ela.

Segundo Eduardo D'Antona, parceiro da BitDefender no Brasil, é fundamental que o usuário não abra mão de proteções específicas e com dinâmicas de atualização automática para novas ameaças que surgem a cada dia. "As ferramentas de proteção necessitam estar sintonizadas com as movimentações do mundo hacker e com os esforços conjugados da comunidade global de segurança”, afirmou.

O conjunto de amostras maliciosas representa as famílias de malware detectadas com maior frequência ao longo dos últimos seis meses, segundo o relatório BitDefender Real-Time Virus Reporting System. Um malware que passou pelo Windows Defender, com sucesso, foi capaz de acessar o backdoor do sistema, interceptou senhas digitadas, chegou a roubar credenciais de jogos online e mais.

Testes realizados sem que o Windows Defender estivesse ativado deram resultados ainda piores. Das 385 amostras, 234 foram executadas com sucesso. Outras 138 amostras não puderam ser iniciadas na máquina por diversos motivos, seis ameaças online foram executadas, porém falharam e outras sete foram instaladas, mas seu conteúdo foi bloqueado pelo UAC.

"Mesmo que o novo sistema operacional possua uma grande reformulação em termos visuais, com a introdução da interface avançada para o usuário, o Windows 8, com a solução de antivírus ativada, registra índices alarmantes de taxa de detecção, comparada às registradas pelo Windows 7", comenta o pesquisador chefe em segurança da BitDefender, Alexandru Balan.

link: TI Rio