Página 1 de 2 12 ÚltimoÚltimo
Resultados 1 a 10 de 11
  1. #1
    WHT-BR Top Member
    Data de Ingresso
    Dec 2010
    Posts
    15,000

    Inaugurado o lançamento do projeto de cabo submarino Angola/Brasil (SACS)

    O projecto de cabo-submarino Angola/Brasil (SACS) e o Hub Africano de Telecomunicações (Angonap) foram lançados hoje, em Luanda, pelo ministro das Telecomunicações e Tecnologias de Informação, José Carvalho da Rocha.

    O Angonap representa o ponto central da rede da Angola Cables, no qual os operadores nacionais poderão aceder às ligações internacionais. É um “Data Center”, construído com os requisitos necessários do mercado das telecomunicações, tais como localização num ponto de fácil acesso e nobre da cidade de Luanda.

    No acto de apresentação, o responsável da operadora Angola Cables, António Nunes, disse que o ponto terá como benefícios, o acesso às altas estradas de informação, através de um ponto único nacional, ao mesmo tempo que os operadores nacionais poderão buscar circuitos internacionais, sem terem que negociar com operadores internacionais.

    Quanto ao cabo-submarino Angola-Brasil, adiantou, é uma nova infra-estrutura submarina que terá seis mil quilómetros e vai ligar Fortaleza, no Brasil, a Luanda. O cabo de fibra óptica vai servir para a transmissão de voz e dados entre a América Latina, África e a Ásia.

    A instalação deste cabo está prevista para Maio de 2014 enquanto a sua entrada em funcionamento está prevista para finais do mesmo ano.

    António Nunes disse que a instalação deste sistema é uma iniciativa esperada pelo mercado por se tratar do primeiro no hemisfério sul.

    Entretanto, disse que existem, na região, outras iniciativas de desenvolvimento de projectos similares.

    A Angola Cables é uma operadora de fibra óptica vocacionada para o mercado e criada em 2009 pelos principais operadores nacionais.
    A noticia no Telecompaper é muito mais impactante:

    Angola-Brazil fibre optic cable starts operations
    Monday 17 December 2012 | 09:48 CET | News

    The submarine cable between Angola and Brazil was launched on 14 December in Luanda, by the Angolan fibre optic operator Angola Cables, according to a report by local daily Jornal de Angola. The African Telecommunications Cable runs for 6,000 kilometers and links Luanda to Fortaleza, in the Brazilian state of Ceara. The cable will be used for the transmission of voice and data (internet), from Latin America, Africa and Asia. The project had a cost of USD 278 million and should be completed by the end of 2014.

  2. #2
    {topmember}
    Data de Ingresso
    Nov 2010
    Localização
    Rio de Janeiro
    Posts
    596
    Oba oba oba agora vamos procurar um data center na Angola....

  3. #3
    WHT-BR Top Member
    Data de Ingresso
    Dec 2010
    Posts
    15,000
    Depois da noticia da entrada em operação do cabo submarino virtual, uma noticia séria:

    West Africa Gets ACEd
    December 20th, 2012 by Robert Powell

    The continent of Africa has gained yet another major submarine cable connection, as France Telecom-Orange and its consortium partners have officially brought the Africa Coast to Europe cable system online at a ceremony in The Gambia. The fiber itself has been in place for months, but now the whole thing is ready to roll.

    ACE’s 12,000km of fiber now connects France to no less than thirteen countries along the West African coast, plus terrestrial extensions into the landlocked nations of Mali and Niger and with another hookup for Nigeria planed for next year. For seven of those countries (The Gambia, Guinea, Equatorial Guinea, Liberia, Mauritania, Sao Tomé & Principe and Sierra Leone), it will be the first direct connectivity to the internet they have ever had.

    With 40G technology it’s theoretical capacity will reach 5.12Tbps, although they’re not starting off that big right away. The construction cost about $700M, more than a third of which came from the French. Orange has many subsidiaries sprinkled across the French speaking parts of the continent, and thus a vested interest in connecting them up.

    Western Africa has seen its bandwidth options grow by leaps and bounds with WACS, MainOne, and GLO-1 online, and several projects planned for spanning the South Atlantic underway. One of those projects, Angola’s 6,000km African Telecommunications cable connecting Luanda to Fortaleza, was officially launched earlier this week with completion projected for the end of 2014.


    Estamos indo com a semente de trigo enquanto eles estão voltando com o pão.
    Última edição por 5ms; 20-12-2012 às 17:30.

  4. #4
    {topmember}
    Data de Ingresso
    Nov 2010
    Localização
    Rio de Janeiro
    Posts
    596
    A África tem alguns países de língua portuguesa - talvez seja uma boa idéia "atacar" este mercado com hosting no Brasil.

  5. #5
    WHT-BR Top Member
    Data de Ingresso
    Dec 2010
    Posts
    15,000
    Considerando que os cabos submarinos Africa-Europa já estão em operação e os provedores de Portugal, colonizador desses paises, falam português e tem servidores por toda a Europa ... esse ataque vai ser heróico

  6. #6
    WHT-BR Top Member
    Data de Ingresso
    Nov 2010
    Localização
    Rio de Janeiro - RJ
    Posts
    2,289
    Mas pode ser uma boa possibilidade (não sei se é possível) de diminuir a latência para a Europa, e com isso poder fugir do "império americano" de datacenters.

  7. #7
    WHT-BR Top Member
    Data de Ingresso
    Dec 2010
    Posts
    15,000
    O nosso problema é o império brasileiro dos data centers. Na situação atual, os data centers americanos são solução.

  8. #8
    WHT-BR Top Member
    Data de Ingresso
    Dec 2010
    Posts
    15,000
    Bilionária angolana

    Filha mais velha do presidente da pobre Angola, Isabel dos Santos é a primeira bilionária da África, com ações de bancos e empresas portuguesas de telefonia em Luanda, diz a revista americana Forbes, que apontou a pouca transparência nos negócios da moça.

  9. #9
    WHT-BR Top Member
    Data de Ingresso
    Dec 2010
    Posts
    15,000
    Crendice em Angola ‘explica’ fortuna de Santos


    Em Angola, difunde-se uma história que não conseguiria prosperar nem no Brasil dos mensaleiros, sobre a origem supostamente “limpa” da fortuna de Isabel dos Santos, filha do presidente José Eduardo dos Santos, que segundo a revista Forbes é a primeira bilionária da África. Os angolanos são levados a acreditar que a fortuna dela vem de uma cobra, pertencente ao seu marido, que “cospe dinheiro” todos os dias.
    Mais uma ronaldinha ... Filha do presidente de Angola começou com um pequeno restaurante aos 24 anos e aos 40 detém fortuna de US$ 1 bilhão.

    Isabel Dos Santos, daughter of Angolan President Eduardo Jose Dos Santos, the one Billion mark by buying shares of public traded companies in Portugal combined with her assets in Angolan firms. Based on Forbes assessment, she has a "humble beginning" (Self-made). Started with a small restaurant at the age of 24 called Miami Beach and the rest is history.

  10. #10
    WHT-BR Top Member
    Data de Ingresso
    Dec 2010
    Posts
    15,000

    Brasil torna secreto apoio financeiro a Cuba e a Angola

    Medida foi assinada pelo ministro Fernando Pimentel um mês após entrada em vigor da Lei de Acesso à Informação

    Só no ano passado, o BNDES financiou operações para 15 países, no valor total de US$ 2,17 bilhões, dos quais US$ 875 milhões em operações de financiamento à exportação de bens e serviços de empresas brasileiras para Cuba e Angola -- só as dos dois países receberam o carimbo de 'secreto'. O país africano desbancou a Argentina e passou a ser o maior destino destes recursos.


    RUBENS VALENTE DE BRASÍLIA

    O ministro Fernando Pimentel (Desenvolvimento) tornou secretos os documentos que tratam de financiamentos do Brasil aos governos de Cuba e de Angola. Com a decisão, o conteúdo dos papéis só poderá ser conhecido a partir de 2027.

    O BNDES desembolsou, no ano passado, US$ 875 milhões em operações de financiamento à exportação de bens e serviços de empresas brasileiras para Cuba e Angola. O país africano desbancou a Argentina e passou a ser o maior destino destes recursos.

    Indagado pela Folha, o ministério disse ter baixado o sigilo sobre os papéis porque eles envolvem informações "estratégicas", documentos "apenas custodiados pelo ministério" e dados "cobertos por sigilo comercial".

    Os atos foram assinados por Pimentel em junho de 2012, um mês após a entrada em vigor da Lei de Acesso à Informação. É o que revelam os termos obtidos pela Folha por meio dessa lei.

    Só no ano passado, o BNDES financiou operações para 15 países, no valor total de US$ 2,17 bilhões, mas apenas os casos de Cuba e Angola receberam os carimbos de "secreto" no ministério.

    Segundo o órgão, isso ocorreu porque havia "memorandos de entendimento" entre Brasil, Cuba e Angola que não existiam nas outras operações do gênero.

    O ministério disse que o acesso a esses outros casos também é vetado, pois conteriam dados bancários e comerciais já considerados sigilosos sem a necessidade dos carimbos de secreto.

    INEDITISMO

    Antes da nova Lei de Acesso, já existia legislação que previa a classificação em diversos graus de sigilo, mas é a primeira vez que se aplica o carimbo de "secreto" em casos semelhantes, segundo reconheceu o ministério. O órgão disse que tomou a decisão para adaptar-se à nova lei.

    O carimbo abrange quase tudo o que cercou as negociações entre Brasil, Cuba e Angola, como memorandos, pareceres e notas técnicas.

    As pistas sobre o destino do dinheiro, contudo, estão em informações públicas e em falas da presidente Dilma.

    Em Havana, onde esteve em janeiro para encontro com o ditador Raúl Castro, ela afirmou que o Brasil bancava boa parte da construção do porto de Mariel, a 40 km da capital, obra executada pela empreiteira Odebrecht.

    Ela contou ainda que o Brasil trabalhava para amenizar os efeitos do embargo econômico a Cuba. "Impossível se considerar que é correto o bloqueio de alimentos para um povo. Então, nós participamos aqui, financiando, através de um crédito rotativo, US$ 400 milhões de compra de alimentos no Brasil."

    Na visita a Luanda, em Angola, Dilma falou em 2011 que "os mais de US$ 3 bilhões disponibilizados pelo Brasil fazem de Angola o maior beneficiário de créditos no âmbito do Fundo de Garantias de Exportações" do BNDES.

    O Desenvolvimento diz que os financiamentos têm o objetivo de estimular e dar competitividade às empresas brasileiras nas vendas ao exterior. A Folha não conseguiu falar com as embaixadas de Cuba e de Angola.
    Folha de S.Paulo - Poder - Brasil torna secreto apoio financeiro a Cuba e a Angola - 09/04/2013
    Última edição por 5ms; 09-04-2013 às 09:07.

Permissões de Postagem

  • Você não pode iniciar novos tópicos
  • Você não pode enviar respostas
  • Você não pode enviar anexos
  • Você não pode editar suas mensagens
  •