Resultados 1 a 6 de 6
  1. #1
    Super Moderador
    Data de Ingresso
    Sep 2010
    Localização
    Procurando...
    Posts
    4,106

    América Latina vai precisar de mais 296 mil especialistas em rede até 2015

    América Latina vai precisar de mais 296 mil especialistas em rede até 2015

    A demanda por profissionais de TI com conhecimento em network na América Latina será 35% maior que a oferta de talentos até 2015, o que poder afetar a competitividade dos países da região. O alerta é do estudo "Networking Skills in Latin America", realizado pela IDC, encomendado pela Cisco.

    De acordo com a pesquisa, a América Latina tinha em 2011 uma carência de 139,8 mil profissionais com experiência em redes e conectividade, ou seja, falta de especialistas com habilidade para planejar, projetar, gerenciar e suportar tecnologias de networking nas organizações. A previsão para 2015 é de que esse número aumente para 296 mil, o que representa um crescimento de 35% do déficit de talentos nessa área.

    Esta situação é agravada pelas novas tendências, como computação em nuvem, mobilidade transmissão de vídeo pela internet, entre outras tecnologias que estão chegando ao mercado. A falta de profissionais capacitados pode representar um grande desafio para o desenvolvimento econômico da região, sinaliza o estudo.

    "A falta de profissionais treinados poderá impactar o desenvolvimento econômico e social na região", afirma Max Tremp, diretor de Operações Técnicas da Cisco México. Se não houver um esforço para resolver essa carência, o setor de TIC terá dificuldade para manter seu crescimento, alerta o executivo.

    A demanda por profissionais capacitados em redes e conectividade na região está sendo impulsionada pela necessidade das empresas de investirem em tecnologias mais eficiente de infraestrutura com cloud computing e virtualização. Além disso, está crescendo o uso de dispositivos conectados e soluções interativas de vídeo nas organizações, que exige habilidade dos especialistas para instalação dessas aplicações.

    O estudo da Cisco abordou 767 organizações em oito países: Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Costa Rica, México, Peru e Venezuela. As entrevistas foram segmentadas por setores (governo, educação, saúde, telecomunicações, finanças, etc) e tamanho (mais de 100 empregados).

    Tecnologias emergentes

    O estudo revelou que demanda por profissionais com conhecimentos básicos em rede como segurança, telefonia IP e banda larga aumentará 44% em 2015. Há dois anos havia uma escassez de cerca de 76 mil profissionais e em 2015 esse número subirá para 129 mil.

    Ao analisar a procura por profissionais com conhecimento em tecnologias emergentes, tais como comunicações unificadas, vídeo, computação em nuvem, mobilidade e virtualização, o estudo apontou que havia um déficit de 45% em 2011. Para 2015, esse índice chegará a 56%.

    O estudo revelou que há dois anos faltavam 63 mil especialistas nessas tecnologias e que esse número vai pular para 167 mil em 2015. Essa taxa representa uma diferença gradual projetada de 42% em 2011 e 53% em 2015. Com o aumento da penetração dessas tecnologias em organizações latino-americanas, a demanda por estas habilidades terá uma taxa de crescimento anual de 28% em três anos.

    O diretor de Operações Técnicas da Cisco no México destacou o impacto sobre a estrutura econômica e social das novas tecnologias, tais como o aumento da penetração de banda larga na região. Ele afirma que a pesquisa mostra que a adoção das TIC e da internet rápida pode impulsionar o sucesso de negócios na América Latina e no Caribe. A expansão de 10% desse serviço representa um aumento do produto interno bruto (PIB) de 3,19% e um crescimento de produtividade de 2,61%, diz o executivo.

    Importância das certificações

    Para 75% das organizações entrevistadas, as certificações exercem um papel importante porque atestam o conhecimento dos profissionais em redes. Das 767 companhias abordadas, 49% disseram que essas credenciais são "muito importante", enquanto 28% considerou "importante".

    O estudo também revelou que é cada vez mais difícil encontrar profissionais de segurança da informação para ambiente de resde. A demanda por esse talento aumentou exponencialmente nos oito países pesquisados. Entre as organizações entrevistadas, 87% disseram que vão contratar especialistas com habilidades extras nessa área nos próximos 24 meses.
    link: Am
    Siga-nos em nosso twitter: @wht_brasil

  2. #2
    Moderador
    Data de Ingresso
    Oct 2010
    Localização
    Rio de Janeiro
    Posts
    2,679
    Serio? Onde estao estas oportunidades, que ate agora nao se manifestaram?

  3. #3
    WHT-BR Top Member
    Data de Ingresso
    Jul 2011
    Posts
    1,036
    Citação Postado originalmente por cresci Ver Post
    Serio? Onde estao estas oportunidades, que ate agora nao se manifestaram?
    Esperando você colocar no CV: "Pretensão salarial dérreal mais o busão"

  4. #4
    Moderador
    Data de Ingresso
    Oct 2010
    Localização
    Rio de Janeiro
    Posts
    2,679
    Assim só vão ver meu dedo médio...

  5. #5
    Super Moderador
    Data de Ingresso
    Sep 2010
    Localização
    Procurando...
    Posts
    4,106
    Citação Postado originalmente por rubensk Ver Post
    Esperando você colocar no CV: "Pretensão salarial dérreal mais o busão"
    faltou voce dizer que o cara tem que ter 2024 certificados, menos de 30 anos, não querer ganhar mais que o piso do sindicato e sobre o buzão só pode precisar de 2 vales por dia

    ai fica a pergunta: - quantas vagas "REAIS" existem? nula ou negativa?
    Siga-nos em nosso twitter: @wht_brasil

  6. #6
    WHT-BR Top Member
    Data de Ingresso
    Dec 2010
    Posts
    15,002

    Uruguai desponta na criaçao de games

    O desenvolvimento de software no Uruguai evoluiu para uma indústria de US$ 600 milhões, fazendo do país o líder latino-americano em exportações de software per capita.

    ...

    Frasca, 40, comparou o ceticismo que persiste em relação à empresa privada no Uruguai, onde companhias em setores como telecomunicações, cassinos e até produção de uísque continuam sob o controle do Estado.

    "Ainda temos escolas fortes de ciência da computação", disse Frasca, que é um pioneiro na indústria de jogos do Uruguai. "Quando as pessoas se formam, percebem que não têm opção senão se envolver com o resto do mundo."

    Outras partes da América Latina estão acalentando seus próprios campos de desenvolvimento de jogos. O Chile, por exemplo, recentemente chamou a atenção quando o Atakama Labs, um desenvolvedor de jogos baseado em Santiago, foi adquirido pela companhia japonesa DeNA.

    Estúdios de jogos também surgiram em São Paulo e no Rio de Janeiro, mas seus desenvolvedores queixam-se de regulamentos fiscais complexos e de regras de trabalho que encarecem a contratação de empregados. Na Argentina, dezenas de start-ups desenvolvedoras de jogos foram fundadas em Buenos Aires.

    O desenvolvimento de software no Uruguai evoluiu para uma indústria de US$ 600 milhões, fazendo do país o líder latino-americano em exportações de software per capita. Mas os salários dos desenvolvedores estão subindo rapidamente e tornando mais caro para as empresas novatas competirem no plano internacional.

    Ainda assim, as leis de imigração do Uruguai oferecem vantagens. Estrangeiros contratados podem residir legalmente e trabalhar no Uruguai enquanto seus pedidos de visto de trabalho são processados.

    Evan Henshaw-Plath, um americano entre os fundadores da companhia que se tornou o Twitter, mudou-se para o Uruguai em 2007 e fundou uma empresa de desenvolvimento de software que hoje tem empregados de países como Polônia e Equador.

    "O Uruguai é um lugar extremamente aberto quando se trata de atrair talentos", disse.
    Folha de S.Paulo - New York Times - Uruguai desponta na criaao de games - 11/03/2013

Permissões de Postagem

  • Você não pode iniciar novos tópicos
  • Você não pode enviar respostas
  • Você não pode enviar anexos
  • Você não pode editar suas mensagens
  •