Resultados 1 a 2 de 2
  1. #1
    Super Moderador
    Data de Ingresso
    Sep 2010
    Localização
    Procurando...
    Posts
    4,106

    Após 7 anos, só 40% dos usuários do Twitter criam posts

    Após 7 anos, só 40% dos usuários do Twitter criam posts

    São Paulo - O Twitter completou, esta semana, sete anos desde que Jack Dorsey lançou, nos Estados Unidos, o microblog que se tornaria uma febre mundial e hoje agrega 200 milhões de usuários pelo mundo.

    De acordo com números do próprio Twitter, de suas 200 milhões de contas ativas, aquelas em que o usuário realizou um login ao menos uma vez nos últimos 30 dias, apenas 40% delas, de fato, tuitam. A maior parte das contas foi criada por usuários para consumir conteúdo produzido por terceiros.

    Entre os tuiteiros mais populares da rede social estão personalidades da música, como o cantor Justin Bibier, que soma 30 milhões de seguidores, políticos como Barack Obama e até o novo papa, Francisco.

    O Brasil é o segundo maior mercado em número de usuários do Twitter, atrás apenas dos Estados Unidos. No país em que foi criado, o microblog reúne 108 milhões de usuários, mais da metade das contas globais do serviço. O Brasil aparece em segundo lugar, com 33 milhões de usuários.

    Ao longo de sua trajetória, o Twitter recebeu vários aportes financeiros mas nunca se tornou uma empresa de grande faturamento. Atualmente, a principal fonte de receita do microblog é a publicação de posts patrocinados.
    link: Aps 7 anos, s 40% dos usurios do Twitter criam posts - Internet - Not
    Siga-nos em nosso twitter: @wht_brasil

  2. #2
    WHT-BR Top Member
    Data de Ingresso
    Dec 2010
    Posts
    15,019
    Quando a Internet foi aberta para o público em geral, existiam muitas dúvidas sobre qual seria o comportamento dos usuários. Até então o conteúdo retratava o ambiente acadêmico/cientifico das instituições, com zilhões de curriculos e artigos. O pesquisador da época estava acostumado à informação dispersa, inclusive em vários idiomas, garimpar bibliografia, julgar a qualidade do material, ler longos textos, decidir se aprofundar ou não em determinada questão, etc, de forma que links eram não apenas uma implementação da usual referência bibliográfica mas um recurso de aumento de produtividade. Contudo, o perfil do usuário da Internet comercial era de consumidor passivo de informação, acostumado com televisão, rádio, jornais, sem oportunidade de aprofundar o conhecimento em determinado assunto conforme o interesse. As últimas décadas mostraram que o usuário tipico da Internet não possui interesse em visitar links no meio de textos e também não faz uso da diversidade da Internet, limitando-se a visitar rotineiramente um pequeno conjunto de sites. Por sua vez, incentivos econômicos e outros levaram a criação de sites que tem a pretensão de concentrar o conhecimento existente, pasteurizando os "n" pontos de vista, opiniões, teorias, etc, de forma que os links existentes apontam quase sempre para sites/conteúdo do mesmo grupo. Aí deve-se perguntar quais são as chances do Twitter, que muitas vezes funciona apenas como um anunciante de artigos/reportagens, apontador para conteúdo externo? A realidade é que temos um tipo de RSS reader e os posts ou são feeds ou são "masturbação em público". O conteúdo relevante é produzido em outras pastagens.
    Última edição por 5ms; 26-03-2013 às 15:59.

Permissões de Postagem

  • Você não pode iniciar novos tópicos
  • Você não pode enviar respostas
  • Você não pode enviar anexos
  • Você não pode editar suas mensagens
  •