Atualmente, a China é o segundo maior mercado da Apple depois dos Estados Unidos. Tim Cook, CEO da Apple, prevê que os asiáticos vão superar os americanos em volume de vendas. Analistas chineses acreditam que a campanha é uma manobra estatal para beneficiar marcas locais de inovação, como a Lenovo, a Huawei e a ZTE.

O regulador do mercado comercial da China prometeu na quinta-feira fortalecer os regulamentos relacionados à defesa dos direitos do consumidor, como o caso da adoção da Apple de políticas diferenciais para reparos.

A Administração Geral da Indústria e do Comércio (AGIC) disse que já emitiu uma circular para exigir que as autoridades da indústria e comércio locais intensifiquem as supervisões legais sobre as cláusulas desiguais da Apple em suas políticas de garantia.

"As autoridades locais devem investigar e punir as atuações ilegais de acordo com a lei ", diz a circular.

O anúncio saiu depois que a emissora nacional Televisão Central da China (CCTV) acusou a Apple de fornecer serviços de pós-venda discriminatórios na China em um programa transmitido em 15 de março.

A companhia fornece um período de garantia menor na China em comparação com outros países e usa componentes usados ou remanufaturados no reparo de aparelhos quebrados, de acordo com a CCTV.

As políticas de reparo da Apple geraram um grande número de reclamações no último ano e levaram os órgãos de defesa do consumidor em algumas províncias a colocar a empresa em uma lista negra.

Em agosto do ano passado, a Apple aperfeiçoou partes de suas controversas políticas de reparo.

Em um anúncio anterior, a Associação de Consumidores da China, o mais alto órgão de defesa do consumidor do país, disse que a Apple precisa continuar seus esforços para garantir os direitos e interesses legais dos seus clientes, enfatizando que a maioria das cláusulas injustas ainda não foi tratada e corrigida.

A mais nova crítica intensiva sobre a Apple, apesar de ser amplamente elogiada por defender os interesses de seus consumidores, já causou tumultos entre aqueles que acreditam que a CCTV escolheu intencionalmente culpar empresas estrangeiras enquanto ignora deliberadamente muitas falhas das empresas domésticas.

por Xinhua
China promete regulamenta