Página 1 de 2 12 ÚltimoÚltimo
Resultados 1 a 10 de 11
  1. #1
    Moderador
    Data de Ingresso
    Oct 2010
    Localização
    Rio de Janeiro
    Posts
    2,679

    [EN] Oi vendeu a GlobeNet

    Fiber M&A: BTG Buys GlobeNet From Oi
    July 15th, 2013 by Robert Powell · Leave a Comment

    Private equity has bought itself some more fiber, this time down in Brazil. Oi today announced that it is selling the assets that make up its GlobeNet division to a subsidiary of the infrastructure fund BTG Pactual Infraestrutura II Fundo de Investimento em Participacoes for R$1,745,590,000.00 (about $777M).

    GlobeNet operates 22,500km of submarine fiber connecting North America with Brazil via Bermuda and with an extension to Colombia in the works. They recently completed an upgrade of the NJ-Bermuda leg, which had been the oldest segment of the network.

    The deal comes with a supply contract between GlobeNet and Oi of course, since GlobeNet has been their primary means of international connectivity.

    No further details are yet available on the transaction.
    Fiber M&A: BTG Buys GlobeNet From Oi | Telecom Ramblings

  2. #2
    Super Moderador
    Data de Ingresso
    Sep 2010
    Localização
    Procurando...
    Posts
    4,106
    e pela sua bola de cristal isso pode ser bom ou ruim?
    Siga-nos em nosso twitter: @wht_brasil

  3. #3
    Moderador
    Data de Ingresso
    Oct 2010
    Localização
    Rio de Janeiro
    Posts
    2,679
    Indiferente, mas ajuda a competição. Não sendo mais da Oi, ninguem vai ficar com medinho de contratar capacidade da GlobeNet temendo ser sabotado...

  4. #4
    WHT-BR Top Member
    Data de Ingresso
    Dec 2010
    Posts
    15,020
    Cheiro de rato.

  5. #5
    WHT-BR Top Member
    Data de Ingresso
    Dec 2010
    Posts
    15,020
    O grupo Oi anunciou nesta segunda-feira acordos num total de cerca de 2,5 bilhões de reais para venda de sua empresa de cabos submarinos GlobeNet além de cessão comercial de mais de 2 mil torres de telecomunicações.

    Os acordos foram acertados em uma estratégia da companhia para melhorar sua estrutura de custos num momento em que promove plano de investimentos de 6 bilhões de reais e política de dividendos de 8 bilhões de reais até o fim de 2015.

    As ações da Oi disparavam cerca de 7 por cento nesta segunda-feira após os anúncios.

    "A empresa está conseguindo vender ativos que não influenciam diretamente a sua operação, mas que são muito valiosos quando plenamente aproveitados por terceiros", disse um analista do setor que pediu para não ser identificado, citando que os acordos são positivos porque podem ajudar a companhia a reforçar seu caixa.

    A Oi encerrou o primeiro trimestre com dívida de 27,5 bilhões de reais e índice de endividamento sobre Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) de 3,05 vezes.

    No final de abril, o então diretor financeiro da empresa, Alex Zornig, havia afirmado que a Oi estava em processo de venda de ativos não estratégicos e que esperava que a venda de direitos de uso de torres poderia acrescentar 1 bilhão de reais ao caixa da companhia "nos próximos meses". Ele se referiu na ocasião a 4 mil torres. Zornig deixou o cargo em 20 de junho.

    COMPRADORES

    A cessão da exploração comercial e uso de 2.113 torres de telecomunicações divulgada nesta quarta-feira saiu por menos desse valor. A SBA Torres Brasil, unidade da norte-americana SBA Communications Corp, comprou os direitos por 686,72 milhões de reais.

    Por outro lado, a Oi também anunciou a venda da participação integral que mantinha na GlobeNet, rede de cabos de comunicação submarinos, por 1,745 bilhão de reais. O negócio foi acertado com o BTG Pactual YS Empreendimentos e Participações, empresa controlada pelo BTG Pactual Infraestrutura II Fundo de Investimento em Participações.

    O contrato com o fundo do BTG Pactual estabelece o fornecimento de capacidade para a Oi com volume e preço garantidos. O sistema de cabos submarinos negociado conta com 22.500 quilômetros e é composto por dois anéis de cabos submarinos protegidos, interligando pontos de conexão entre Estados Unidos, Ilhas Bermudas, Colômbia, Venezuela e Brasil.

    Já o acordo com a SBA prevê a locação de espaço nas torres por meio de contrato de longo prazo. Em fato relevante, a Oi afirmou que a transação otimizará recursos e transferirá custos de operação e manutenção dos ativos.

    A implementação desse acordo "está sujeita ao cumprimento de condição precedente prevista em contrato para o fechamento, relativa à aprovação da operação pela Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações)", informou a Oi.

    Ao mercado norte-americano, a SBA Communications Corp afirmou que as torres vão contribuir com uma receita adicional de 73,5 milhões de reais em 2014, além de um fluxo de caixa de 67,3 milhões de reais no ano que vem.
    Oi vende GlobeNet para BTG e cede rede de torres para SBA - Not

  6. #6
    Louco pelo WHT Brasil
    Data de Ingresso
    Dec 2011
    Posts
    168
    Eu sempre achei esquizofrênica a relação da GlobeNet com a Oi. Atuavam como empresas diferentes. Nas rotas, sempre o tráfego saia do Brasil, ia para Flórida e voltava para o Brasil caso, por exemplo, você compre trânsito IP da GlobeNet no Terremark. Com o comercial deles pude confirmar que esse é o comportamento esperado: a Oi não fornece trânsito para GlobeNet no Brasil. Elas apenas possuem peering para tráfego originado numa e destinado noutra.

  7. #7
    Moderador
    Data de Ingresso
    Oct 2010
    Localização
    Rio de Janeiro
    Posts
    2,679
    Citação Postado originalmente por kurtkraut Ver Post
    Eu sempre achei esquizofrênica a relação da GlobeNet com a Oi. Atuavam como empresas diferentes. Nas rotas, sempre o tráfego saia do Brasil, ia para Flórida e voltava para o Brasil caso, por exemplo, você compre trânsito IP da GlobeNet no Terremark. Com o comercial deles pude confirmar que esse é o comportamento esperado: a Oi não fornece trânsito para GlobeNet no Brasil. Elas apenas possuem peering para tráfego originado numa e destinado noutra.
    Vc está confundindp as coisas. A Globenet é exclusivamente uma empresa de transporte layer 2 (no Brasil conhecido como Lan2Lan ou ponto a ponto), vendendo lambdas nas suas fibras entre Brasil e Miami ou New Jersey ou Venzuela ou Bermuda.
    Eles não são carrier nem vendem trânsito próprio e nem fazem peering com ninguém em nenhum lugar. Obviamente pra quem procurava transito, eles revendiam alguem (e em geral era a Tiscali na ponta EUA, daí o comportamento citado) fazendo um pacote integrado, mas este não é o produto deles.

  8. #8
    Louco pelo WHT Brasil
    Data de Ingresso
    Dec 2011
    Posts
    168
    Citação Postado originalmente por cresci Ver Post
    Eles não são carrier nem vendem trânsito próprio e nem fazem peering com ninguém em nenhum lugar.
    Então mudaram a postura deles desde que você os abordou, dando ares de trânsito mesmo ao produto, pois quando entrei em contato com eles, me apresentaram no portfólio o serviço de trânsito IP. E durante toda negociação, perguntavam se eu queria fechar BGP para usar meus IPs ou usar os IPs deles. Eles estão presentes no NAP of Americas, mas um outro no IXP nos EUA que não lembro e até no PTT-SP com ATM liberado.
    Última edição por kurtkraut; 17-07-2013 às 13:50.

  9. #9
    Moderador
    Data de Ingresso
    Oct 2010
    Localização
    Rio de Janeiro
    Posts
    2,679
    Em NY no NYIIX, dentro do 60 Hudson.

  10. #10
    WHT-BR Top Member
    Data de Ingresso
    Jul 2011
    Posts
    1,036
    Será que não era trânsito IP da Tiscali Inteliquent GTT ? Eles e a Globenet sempre foram bem próximos.

Permissões de Postagem

  • Você não pode iniciar novos tópicos
  • Você não pode enviar respostas
  • Você não pode enviar anexos
  • Você não pode editar suas mensagens
  •