Resultados 1 a 9 de 9
  1. #1
    WHT-BR Top Member
    Data de Ingresso
    Dec 2010
    Posts
    15,000

    SoftLayer Adds Managed Hosting Services

    SoftLayer Technologies today added a new suite managed hosting services that combine its automation capabilities with managed services supplied by support staff. The offering combines SoftLayer’s traditional strength in hosting automation with the focus on managed services seen at The Planet, which merged with SoftLayer in late 2010.

    “This is Managed Hosting the SoftLayer way,” said Lance Crosby, SoftLayer Chief Executive Officer. “We’ve paired our unique advantages in automation with an around-the-clock team of certified support and engineering personnel to create a Managed Hosting offering that’s more scalable, reliable, and cost-effective than any other, and practically on-demand.”
    Quando a Softlayer foi lançada, oferecia suporte para "tarefas administrativas" por US$3 / ticket. Será que esse novo serviço "on-demand" seria muito diferente daquilo?

    SoftLayer Adds Managed Hosting Services

  2. #2
    WHT-BR Top Member
    Data de Ingresso
    Dec 2010
    Localização
    /sc/rionegrinho
    Posts
    1,036
    Interessante.
    Eu gostaria de dar uma olhada nos métodos que eles usam.

    Quem sabe algum membro aqui do forum contrata o serviço e faz um review para nós.
    Alexandre Silva Hostert

    Veezon
    Gerenciamento de Servidores


    http://veezon.com.br
    http://br.linkedin.com/in/alexandreveezon

  3. #3
    WHT-BR Top Member
    Data de Ingresso
    Dec 2010
    Posts
    15,000
    Aqui vai um review do basicão...

    Todos os servidores da Softlayer possuem acesso através de 3 portas de rede: IPMI; publica (Internet); privada (LAN). O acesso IPMI é através de VPN com acesso externo através de um provedor de backbone exclusivo e separado dos demais (na época que eu tinha servidor lá era Cogent). Ou seja, se o seu servidor estiver sob ataque ainda assim você mantém o seu acesso através da porta IPMI. Por sua vez, o sistema de automação da Softlayer é o mais completo e sofisticado do mercado, sendo possivel de forma simples reinstalar qualquer sistema operacional, requerer e agendar upgrades de memória ou HDs, requerer IPs, adquirir ou aumentar espaço em NAS/SAN, anexar outros servidores próprios na mesma VLAN, etc, etc, sem qualquer intervenção de vendas ou suporte. Você pode, por exemplo, contratar um servidor sem banda externa para ser usado como servidor dedicado de banco de dados e conectar os seus demais servidores via VLAN. O tráfego na VLAN não é cobrado. Se você deseja aumentar a memória, por exemplo, basta selecionar a quantidade e agendar o dia e periodo de tempo que estará disponivel o servidor para ser realizada a instalação. Com o IPMI, salvo falhas graves, você está literalmente no comando do servidor, podendo desligar, ligar, dar reset no hardware, visualizar tela de boot, BIOS, etc, 24h por dia, sem precisar requerer (e aguardar ou pagar) KVM. Ë como se você estar com o servidor à sua frente. Por esse motivo, o suporte deveria ser raramente acionado por usuários com bons conhecimentos, a não ser em caso de falhas de hardware (substituido no máximo em 4horas após notificação/confirmação). Contudo a Softlayer oferecia ao cliente a opção de acionar o suporte para realizar pequenas tarefas administrativas, ao custo de US$3 o ticket, como instalar ou configurar software aplicativo, configurar firewall, etc. Suponho que com a alta demanda por soluções de hospedagem virtualizada existam usuários que precisem de serviços mais complexos de instalação e manutenção de software, talvez aí um dos motivos para a oferta do "gerenciado à moda Softlayer".
    Última edição por 5ms; 20-04-2011 às 19:58.

  4. #4
    Moderador
    Data de Ingresso
    Oct 2010
    Localização
    Rio de Janeiro
    Posts
    2,679
    Managed Services sempre foi uma tendência. No Brasil é o que domina os grandes datacenters (Alog por exemplo). A SL só quer uma fatia desse bolo, porque ele dá muito mais dinheiro com muito menos trabalho/dor-de-cabeça/investimento. Não creio que vão oferecer o serviço de gereniamento "baunilha" barato, mas sim coisas complexas para clientes complexos.

  5. #5
    WHT-BR Top Member
    Data de Ingresso
    Dec 2010
    Posts
    15,000
    Cresci, acho que esse bolo já tem donos e para a Softlayer só tem farelo. Quando o Lance Crosby costumava publicar artigos no blog e postar no forum fechado da Softlayer, a sua maior ambição era, primeiro, a SL ser a empresa mais inovadora do ramo; segundo, utilizar o máximo possivel de automação para implantar as inovações, e terceiro, ser completamente padronizada -- um requisito para automação. Assim foi feito desde o começo. Servidores exclusivamente Supermicro, "PODs" no Infomart, sistema integrado com todas as funções comerciais, administrativas, técnicas, etc. Eles são essencialmente pura "baunilha". Necessidades complexas não são bem atendidas pelo modelo de negócios que eles desenvolveram e ninguém no mercado espera "suporte fanático" deles, ao contrário de competidores muito bem posicionados nesse nicho, como Rackspace ou IBM, por exemplo, sem falar que clientes complexos que precisam de soluções complexas geralmente possuem equipes capacitadas de TI. No achometro, acho que o Lance está precisando mostrar serviço para os investidores mas a iniciativa vai seguir o rumo dos VPSs e CDN da SL, produtos que constam no catalogo mas devem ter faturamento marginal.
    Última edição por 5ms; 21-04-2011 às 00:48.

  6. #6
    Moderador
    Data de Ingresso
    Oct 2010
    Localização
    Rio de Janeiro
    Posts
    2,679
    Sim mas estou falando dos investidores mesmo.

    O problema de gente com muito dinheiro como empresas de investimento, é que têm uma cultura corporativa guiada por imbecis que não entendem nada do negócio e do aspecto técnico em si (mais ou menos como o Dilbert), mas que se deixam levar por "tendências de mercado" e "buzzwords".
    Agora que o cara não é mais o dono, a função dele é obedecer, mesmo que ele saiba de antemão que vai dar rolo e que não vai vender. Depois para explicar para os investidores o porque não deu certo é de certa forma mais fácil/tranqüilo, do que eles acharem que o cara está de má-vontade ou que não é competente ou confiante o suficiente (e portanto não está apto para o cargo).

  7. #7
    WHT-BR Top Member
    Data de Ingresso
    Dec 2010
    Posts
    15,000
    Mas Cresci, a SL sempre foi propriedade de investidores de capital de risco e, eu acho, até hoje não deu lucro algum. Como poderia o Lance ter saido do The Planet com mais uns 13-15 executivos do topo, super bem pagos, para um provedor com zero clientes? A idéia que ele deve ter vendido para os investidores deve ter sido reproduzir o The Planet, sem os erros deste, para depois vender numa IPO da vida. Vou te contar uma coisa: foi com grande surpresa que recebi a noticia que a "SL" tinha adquirido o controle do The Planet. Eles não tinham grana para isso. O inverso também não parecia possível porque o TP investiu violentamente no data center recem-inaugurado. Então tudo não está passando mesmo de jogadas dos investidores e concordo com você que possivelmente estão obrigando a administração da SL a seguir as "tendências de mercado", mas eu acho que apenas para deixar a SL na midia, para manter a imagem de empresa tecnologicamente avançada, e que a função do Lance não é obedecer mas sim elevar o valor para depois repartir os lucros de uma IPO com os investidores. O mérito do Lance é que ele percebeu que não existiam concorrentes significativos naquele segmento do TP e que tinha espaço sobrando no Infomart (naquela época) para um nova empresa de servidores dedicados crescer rapidamente sem grandes inversões em infraestrutura, o que deve ter deliciado os investidores.
    Última edição por 5ms; 21-04-2011 às 00:52.

  8. #8
    Moderador
    Data de Ingresso
    Oct 2010
    Localização
    Rio de Janeiro
    Posts
    2,679
    Ele não começou com fundos de investimento. Ele começou com venture capital (angel investors).
    Para ser mais exato, o pé de meia dele foi a Vencore Capital - Extend Your Reach - o projeto era bom, eles aprovaram, e deram talvez o teto de $2MM para ele (não sei quanto foi a rodada inicial).

    E a SL não comprou a TP. A TP era do GI Partners (que investe pacas em datacenters, eles são/eram donos da Telx e da Digital Realty Trust também. A especialidade do GI é comprar empresas para crescê-las e depois jogá-las em IPO). A Telx está para entrar em IPO, falando nisso.
    (especulação on) O que o Lance fez foi oferecer para o GI a SL depois de crescê-la com VC e de ter pago todo o ROI aos VCs para poder tirá-los do pé dele ou para não melarem a transação (especulação off). Por isso mesmo que ainda não deu lucro, ela está no zero, se preparando para subir.
    Ou seja, foi a GI quem comprou os dois e depois fundiu, vendo que a TP estava indo pro ralo depois que os cabeças saíram para fundar a SL.

  9. #9
    WHT-BR Top Member
    Data de Ingresso
    Dec 2010
    Posts
    15,000
    Citação Postado originalmente por cresci Ver Post
    Ele não começou com fundos de investimento. Ele começou com venture capital (angel investors).
    Eu não disse que começou com fundos de investimento:

    "SL sempre foi propriedade de investidores de capital de risco". As inúmeras rodadas para capitalizar a SL sempre foram noticiadas em press releases, então nem era segredo a origem do capital que usavam.


    Citação Postado originalmente por cresci Ver Post
    E a SL não comprou a TP.
    Também não fiz essa afirmação. O que escrevi foi:

    ´ a "SL" tinha adquirido o controle do The Planet ´

    Coloquei SL entre parenteses justamente porque o nome do santo era outro ao contrário do que se comentava por aí.
    Última edição por 5ms; 21-04-2011 às 01:17.

Permissões de Postagem

  • Você não pode iniciar novos tópicos
  • Você não pode enviar respostas
  • Você não pode enviar anexos
  • Você não pode editar suas mensagens
  •