- O que é DNS?

DNS (Domain Name System - Sistema de Nomes de Domínios) é quem resolve os nomes de domínios em endereços de rede (IPs).

- Mas o que significa resolver?
Resolver significa converter um nome de domínio (dominio.com.br) em um endereço de IP.

- Mas porque preciso disso?
É simples, se isso não existisse, para acessar um web site, você teria que saber o endereço IP dele! Já imaginou? Como é mesmo o endereço do site de busca? 192.168.254.187

Graças aos servidores de DNS que basta você digitar no seu navegador google.com que o site é encontrado e aberto.

- Tenho um servidor (virtual ou dedicado, não importa) aonde hospedo meus domínios e de meus clientes, posso ter então meu próprio servidor de DNS usando meu domínio?

Sim, é possível. Isso requer que você tenha este serviço instalado em seu servidor (como o BIND no linux), o que é bastante comum se você tiver usando um painel de controle de hospedagem, tipo Cpanel, Directadmin ou Plesk.

Observe apenas, que alguns cuidados devem ser tomados. Um erro muito comum é o “Single point of failure” que é reportado em sites de testes de DNS (intodns, ipok, dnsstuff, etc). A intenção deste teste é evitar que você coloque seus dois servidores de DNS (quantidade mínima exigida) em um mesmo servidor.

É comum vermos o cliente solicitar endereços de IP em classes diferentes para que este erro não apareça mais, ok, o erro não irá aparecer, mas você ainda poderá ser prejudicado por esta prática.

O aconselhado é que você tenha no mínimo dois servidores de DNS espalhados geograficamente, que na pratica quer dizer um servidor de DNS em um data center e o outro servidor em outro e a vantagem disso é que se um servidor de DNS seu sair do ar o outro continua a funcionar.

Vamos ilustrar isso de uma forma ainda melhor e mais clara, imaginando a seguinte configuração:

Um servidor no data center A com seu servidor de páginas (ex. Apache) e o seu DNS 1 (ns1.dominio.com.br)

Um servidor virtual no data center B com ser servidor de DNS 2 (ns2.dominio.com.br)

Um servidor de email externo, como google apps ou live domains

O resultado da configuração acima é que se seu servidor de páginas entrasse em manutenção, o servidor de DNS 2 continuaria no ar informando a internet a localização de sua página e de seus emails – neste caso, seus emails continuariam a funcionar.

Agora, se o seu servidor de DNS 2 parasse, o DNS 1 continuaria a informar a internet a localização de sua página e emails – neste caso, sua página e emails continuariam a funcionar.

E o que é melhor disso tudo é que se você utiliza Cpanel ou Direcadmin (falo apenas destes por ter experiência direta com os dois), isso tudo pode ser feito de forma automática e sem você nem perceber, basta você ter um pequeno VPS como DNS secundário.

Outra opção que oferece o mesmo resultado são alguns serviços de DNS externo, empresas que são especializadas nestes serviços, mas nem sempre podem ser automatizados utilizando seu Cpanel ou Directadmin.