Resultados 1 a 4 de 4
  1. #1
    WHT-BR Top Member
    Data de Ingresso
    Dec 2010
    Posts
    15,002

    [EN] Russia to Propose BRICS Space Station

    Russia has drawn up a proposal to create a new space station for the BRICS group of emerging economies that could be presented at the organization's five-nation summit this year, the TASS news agency reported Tuesday, citing a copy of the document.

    The proposal was crafted by Russia's Military-Industrial Commission, the government's primary interface with the aerospace and defense industries. In November, President Vladimir Putin took personal control of the commission.

    "It would be useful to explore the possibility of an international manned spaceflight project with the BRICS nations within an overall strategy of entering into technological alliances," TASS cited an expert panel on the commission as saying in the document.

    The document approved further work on the proposal, and suggested adding discussions of a space station for the five BRICS nations — Brazil, Russia, India, China and South Africa — to the body's business council meetings at the upcoming summit in the Russian city of Ufa.

    The proposal comes after months of speculation that the crisis in Ukraine would doom U.S.-Russia space cooperation. For two decades this effort has largely been focused on the International Space Station project (ISS), which is due to end in 2020. NASA has proposed extending it to 2024, but Russia has suggested it might duck out and instead build its own space station — possibly with the participation of China.

    The BRICS project would be roughly analogous to the ISS, a $150 billion project involving 15 nations. Anchored by the United States and Russia, the world's leading spacefaring powers, the ISS allows countries with less advanced spaceflight capabilities to either join onto the station's Russian and American segments or contribute smaller segments.

    A BRICS space station would likely emerge from a similar two-nation partnership, again with Russia in a driver's seat. The Military-Industrial Commission recommended approaching either China or India — both countries that have well-developed and increasingly ambitious space programs. The proposal would then allow other BRICS members to join.

    This would spur the development of space activities in Brazil and South Africa. Although Brazil has had an active space program since the 1960s, its efforts are still mostly focused on utilitarian satellite designs used for communications and observation. South Africa only established a space agency in 2010 and has no independent rocket launch capability.

    India has yet to put a man in space without hitching rides on other nations' rockets. Last year, it demonstrated its rising capabilities after launching an unmanned satellite to Mars on a shoestring budget.

    China is perhaps the best partner for such a project. China already launches its own astronauts into space, and is designing its own medium-sized space station. The placement of Russia's new Vostochny Cosmodrome in Russia's Far East also makes close cooperation with China far easier.
    http://www.themoscowtimes.com/article/514972.html

  2. #2
    Moderador
    Data de Ingresso
    Oct 2010
    Localização
    Rio de Janeiro
    Posts
    2,679
    Movida a vodka e vai explodir no lançamento...

  3. #3
    Aspirante a Evangelist
    Data de Ingresso
    Jul 2012
    Posts
    352
    Rússia baixa o preço da vodca e sobe o dos produtos básicos

    Moscou - A vodca ficou um pouco mais barata na Rússia, depois que o governo diminuiu o preço mínimo regulado da bebida em meio a uma grave crise econômica e uma galopante inflação que encareceram praticamente todos os produtos de primeira necessidade.

    "Com esta baixa, querem tranquilizar o povo. Tentam diminuir o descontentamento do povo pela alta generalizada de outros produtos. Porque este país, na realidade, é um país bebedor", opinou Andrei, de pouco mais de 30 anos.

    No mesmo dia em que o transporte público teve um aumento em média de 7% em Moscou, o preço mínimo de uma garrafa de meio litro de vodca passou de 220 para 185 rublos, o equivalente a R$ 7,32 no câmbio atual.

    A forte desvalorização do rublo, que perdeu mais de 50% de seu valor nos últimos meses, disparou os preços inclusive para os produtos básicos não importados e deixou à beira do desespero as camadas de população mais desprotegidas.

    "Há outros produtos que deveriam ter preços rebaixados, como os remédios e os alimentos", lamentou Irina Viktorovna, uma aposentada que vive em Moscou, uma das cidades mais caras do mundo, com uma aposentadoria de pouco mais de 12 mil rublos (R$ 475).

    A medida, que entrou em vigor no último domingo, foi aprovada depois de o presidente Vladimir Putin se pronunciar contra o aumento do preço da bebida alcoólica preferida dos russos.

    É a primeira vez desde a adoção de um preço mínimo para a vodca que o governo reduz seu preço, e fez isso apesar das duas últimas altas terem sido aplicadas há menos de um ano, em março e agosto de 2014.

    As autoridades asseguram que querem evitar que os consumidores recorram aos destilados caseiros, frequentemente muito perigosos para a saúde, diante da drástica diminuição de seu poder aquisitivo, minguada por uma inflação que beirou 10% em 2014.

    "No interior do país, o povo bebe muito. Nas zonas rurais, o povo produz álcool caseiro de má qualidade para não gastar seus poucos recursos na vodca de fábrica", reconheceu Andrei, que da mesma forma que a maioria dos homens russos, apoia a diminuição.

    Irina, no entanto, acredita que a medida não é o melhor nas circunstâncias atuais, com a economia do país afetada pela baixa do preço do petróleo e as sanções do Ocidente contra Moscou por seu papel na crise da Ucrânia.

    "Agora que os ânimos no país são tão depressivos, parece que nos dizem que é preciso afogar as mágoas", advertiu esta aposentada, que lembrou várias campanhas contra o consumo desmedido do álcool lançadas em tempos soviéticos.

    Muita água caiu desde a primeira "lei seca" da história da Rússia, imposta em agosto de 1914 pelo czar Nicolau II com o objetivo de dedicar a produção de álcool à cura dos feridos na Primeira Guerra Mundial.

    Naquela época, a média de consumo de álcool no país era de apenas 2,8 litros por pessoa por ano.

    Um século depois, a Rússia é líder mundial em consumo de bebidas alcoólicas por habitante, com 18 litros anuais, segundo dados oficiais que refletem, além disso, que mais de dois milhões de russos sofrem de alcoolismo.

    Um recente estudo internacional publicado pela revista médica britânica "The Lancet" adverte que um quarto da população masculina da Rússia morre antes de completar 55 anos, um dado que os cientistas atribuíram em grande medida ao excessivo consumo do álcool.

    Nem esta e outras advertências tiram o ânimo de Nicolai, que não oculta seu contentamento pela "oportuna e sábia" medida do governo russo.

    "Sempre é bom que baixem os preços", ressaltou, na saída de um supermercado, este moscovita de 55 anos. EFE
    http://exame.abril.com.br/economia/n...odutos-basicos

  4. #4
    WHT-BR Top Member
    Data de Ingresso
    Dec 2010
    Posts
    15,002
    No mesmo dia em que o transporte público teve um aumento em média de 7% em Moscou
    Aumento médio é uma invenção genial dos politicos.

    No domingo (1/fev) o metrô de Moscou aumentou 25%, acumulando 66% em 13 meses.

    http://www.themoscowtimes.com/busine...-1/515174.html

Permissões de Postagem

  • Você não pode iniciar novos tópicos
  • Você não pode enviar respostas
  • Você não pode enviar anexos
  • Você não pode editar suas mensagens
  •