Resultados 1 a 7 de 7
  1. #1
    WHT-BR Top Member
    Data de Ingresso
    Dec 2010
    Posts
    15,019

    Racionamento de energia deverá ser decretado em 100 dias

    Técnicos dizem que restrição ao consumo de energia deve ficar entre 10% a 20% da carga, mas há quem projete até 30%

    O racionamento de energia é inevitável e seu anúncio terá de ser feito em um prazo máximo de 100 dias. Esta é a previsão de especialistas do setor elétrico diante da situação de falta de chuvas que atinge, sobretudo, o Sudeste do País.

    O atual nível dos reservatórios e a previsão pluviométrica para o final do período chuvoso, até abril, mostram que o volume de água armazenada não subirá o necessário para que o Brasil tenha condições de superar o período seco, de maio a outubro. Por isso, o intervalo entre o final de abril e o início de maio é considerada data limite para um anúncio oficial de racionamento.

    A demora federal em anunciar o racionamento ou ao menos iniciar uma ampla campanha de conscientização de consumo racional agrava a situação e pode fazer com que o corte seja ainda maior.

    Entre especialistas, acredita-se que a restrição deva ficar entre 10% e 20% da carga, mas há quem projete números de 5% a 30%, a depender do ritmo da atividade econômica nos próximos meses. O alívio poderia vir da desaceleração da economia brasileira e da queda na produção da indústria nacional, esta motivada principalmente pela falta de água em Estados como São Paulo e Minas Gerais.

    "Se continuar a seca existente neste momento e se considerarmos as previsões de vazão do ONS, chegamos até abril", afirmou a diretora da Engenho Consultoria, Leontina Pinto, em referência a previsões recentes do Operador Nacional do Sistema elétrico.

    Limites. A análise leva em conta o limite mínimo de 10% no nível dos reservatórios proposto no mês passado pelo ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga. O problema é que o limite de 10% deveria ser alcançado no final do período seco, no último trimestre do ano, e não no primeiro semestre.

    Para que o limite de 10% fosse respeitado, o nível dos reservatórios do País deveria chegar ao final de abril com o equivalente a 35% capacidade de armazenamento. A projeção foi feita em dezembro passado pelo diretor geral do ONS, Hermes Chipp. Na oportunidade, ele destacou que o número seria alcançado se o volume de chuvas até o mês de abril ficasse próximo a 70% da média histórica, o que não ocorreu até o momento.

    O crescente risco de racionamento já foi acusado pelo Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE), vinculado ao Ministério de Minas e Energia. Na semana passada, o CMSE elevou de 4,9% para 7,3% o risco de desabastecimento de eletricidade na Região Sudeste/Centro-Oeste em 2015. O número superou o limite tolerado pelo comitê, de 5%, porém nenhuma medida de corte de oferta foi anunciada.

    Corte maior. "É um absurdo que o órgão de monitoramento ainda não tenha decretado racionamento. Se tivesse havido racionalização (de energia) em 2013, teríamos alcançado o objetivo de redução de consumo. Mas hoje falamos de cortes equivalentes a 10% a 20% da carga para que se tenha recuperação dos reservatórios", salientou o diretor da consultoria Thymos Energia, Ricardo Savoia. Em 2013, segundo Savoia, as projeções já sugeriam situação desfavorável ao fornecimento de energia no Brasil.

    Agora, com mais de um ano de atraso, na visão dos especialistas, o governo começa a sinalizar a possibilidade de elaborar uma campanha de conscientização da população, medida que pode ser insuficiente. "A questão é que não temos mais tempo a perder. Se adiar mais um, dois, três meses, o governo aumenta o buraco", alerta o diretor da PSR, Marco Antonio Siqueira. A consultoria estima em 58% o atual risco de haver racionamento em 2015.

    O anúncio de um racionamento apenas em abril coincidiria com o fim do período de chuvas e da expectativa de recuperação dos reservatórios. Caso o anúncio ocorra em abril, é possível que a adoção prática da medida seja implementada somente em junho.
    http://economia.estadao.com.br/notic...s-imp-,1635496

  2. #2
    WHT-BR Top Member
    Data de Ingresso
    Dec 2010
    Posts
    15,019
    Como dizem os americanos, o problema dessas previsões negativas ...

    you’re always wrong until the moment when you’re right, with all the attendant loss of credibility that entails.

  3. #3
    WHT-BR Top Member
    Data de Ingresso
    Nov 2010
    Posts
    1,609
    Se houver racionamento de energia de 30% por exemplo, gostaria de saber como um data center se vira aqui no Brasil em uma situação como essa...
    oGigante.com*• Revenda de Hospedagem Cloud Linux + WHMCS Grátis
    VWhost.com.br • Revenda de Hospedagem Linux Cpanel + CloudFlare
    Zocka.com.br • Hospedagem de Sites Cpanel + Construtor de Sites

  4. #4
    Aspirante a Evangelist
    Data de Ingresso
    Jul 2012
    Posts
    352
    Citação Postado originalmente por chuvadenovembro Ver Post
    Se houver racionamento de energia de 30% por exemplo, gostaria de saber como um data center se vira aqui no Brasil em uma situação como essa...
    A resposta é: "Se vira nego, isso é problema seu...."
    Há uns 6 ou 7 anos visitei um cliente que tinha uma pequena gráfica na zona norte de sp. Na verdade nem era uma gráfica, ele fazia o acabamento na impressão dos outros. Fosco, brilhante, relevo, etc, etc.

    Naquela época a Eletropaulo já avisou: "Eu te forneço a energia para iluminação, computadores, geladeira... Para alimentar as máquinas eu não tenho como te atender."

    O negócio funcionava na base dos geradores. O Brasil já está atrasado na questão de infra-estrutura há muito tempo, é que agora não dá mais para esconder o elefante embaixo do tapete.

  5. #5
    Louco pelo WHT Brasil
    Data de Ingresso
    Jan 2011
    Localização
    Aveiro, Portugal
    Posts
    154
    Na boa, isso nao vai dar em nada.

    No final das contas o Brasil acha um jeitinho e a coisa vai rolando.

  6. #6
    WHT-BR Top Member
    Data de Ingresso
    Dec 2010
    Posts
    15,019
    Citação Postado originalmente por mindnet Ver Post
    Na boa, isso nao vai dar em nada.

    No final das contas o Brasil acha um jeitinho e a coisa vai rolando.
    Eu até concordo com você, mas os jeitinhos estão cada vez mais caros e dificeis de arrumar. Veja o balanço comercial. Você aprova lei que permite empurrar a data real da compra de petroleo e derivados, você "exporta" plataforma, antecipa lucros e recebimentos, posterga pagamentos, usa as reservas para comprar titulo podre da Argentina, da Venezuela, do Equador, de Cuba, enfim, faz o diabo para produzir numeros tolos, um ciclo cujo efeito é liquidar a pouca credibilidade anterior. Um dia o estoque acaba.

  7. #7
    WHT-BR Top Member
    Data de Ingresso
    Dec 2010
    Posts
    15,019
    O bilionário déficit da conta-petróleo sob Dilma | Radar on-line - Lauro Jardim - VEJA.com

    Números a lamentar

    O resultado da conta-petróleo do Brasil (ou seja, a exportação de petróleo e derivados menos a importação de petróleo, derivados e gás natural) no primeiro mandato de Dilma Rousseff pode ser descrito como desastroso.

    O déficit chegou a 48,2 bilhões de dólares em quatro anos (16,8 bilhões de dólares em 2014). Mais do que a soma do segundo mandato de FHC com os oito anos de Lula, que alcançou 42,3 bilhões de dólares).

    Por Lauro Jardim

Permissões de Postagem

  • Você não pode iniciar novos tópicos
  • Você não pode enviar respostas
  • Você não pode enviar anexos
  • Você não pode editar suas mensagens
  •