Resultados 1 a 5 de 5
  1. #1
    WHT-BR Top Member
    Data de Ingresso
    Dec 2010
    Posts
    15,019

    Mercado projeta a maior retração da economia em 25 anos

    Com a deterioração das estimativas para a produção industrial, o mercado aprofundou a perspectiva de retração da economia brasileira em 2015. Piorou também a estimativa para a inflação, que deve fechar o ano em 7,47%, segundo analistas.

    A estimativa mediana do Produto Interno Bruto (PIB) em 2015 passou de -0,50% para -0,58% no Relatório de Mercado Focus, divulgado pelo Banco Central. Há quatro semanas, a estimativa ainda estava positiva, em 0,03%. Se confirmada a retração, a queda será a maior desde 1990, quando o PIB fechou o ano em -4,35%. A estimativa divulgada nesta segunda-feira foi a nona revisão seguida para baixo desse indicador.

    ...

    Dólar. As previsões para o comportamento do câmbio neste e no próximo ano mostraram mudanças sensíveis no Relatório de Mercado Focus. De acordo com o documento, a mediana das estimativas para o dólar no encerramento de 2015 passou de R$ 2,90 para R$ 2,91.

    Já para 2016, a cotação final ficou paralisada em R$ 3 de uma semana para outra 0 estava em R$ 2,90 quatro levantamentos antes. Apesar disso, a taxa média para o ano que vem avançou de R$ 2,88 para R$ 2,90. Quatro semanas antes, a mediana estava em R$ 2,82.
    http://economia.estadao.com.br/notic...5-anos,1642557

  2. #2
    WHT-BR Top Member
    Data de Ingresso
    Dec 2010
    Posts
    15,019

    Brazil’s economy implodes; Rousseff pops to the supermarket

    Jonathan Wheatley | Mar 02 16:12

    Another week goes by and the outlook for Brazil’s economy gets gloomier still. The consensus on GDP is now for a 0.58 per cent contraction this year, according to the central bank’s latest weekly survey of market economists, while industrial production is expected to contract by 0.72 per cent. Inflation is expected to rise to 7.47 per cent; the central bank’s policy interest rate is seen ending the year at 13 per cent.

    The survey was published on Monday after a weekend that saw yet another apparent rift open up at the top of government, along with some surprising behaviour by President Dilma Rousseff.

    The gloomy central bank survey should come as no surprise. Marcelo Carvalho and colleagues at BNP Paribas, for example, have long been predicting a 1 per cent contraction in GDP this year. They expect inflation to come in at 8 per cent – a rate that would be out of touch with the government’s 4.5 per cent target.

    With the economy so badly adrift, it is especially worrying to see signs of dysfunction in Brasília. Last week, Joaquim Levy, the Chicago-trained economist parachuted in to save the economy and Rousseff’s new government, was openly critical of his predecessor, Guido Mantega, finance minister for more than eight years. Levy said reductions in social security payments for employers introduced by Mantega were an “expensive game” that was costing R$25bn ($9bn) a year. He called the policy a “negócio grosseiro”, which would roughly translate as a “crude business”.

    Levy’s comments amount to a personal attack on Mantega. For that they may be cheered by investors, many of whom regarded Mantega as woefully incompetent or worse. But why would the normally discreet Levy kick Mantega when he is down? Were his unguarded public comments a sign of stress and strain?

    They certainly were not cheered by Rousseff, who described his use of the word grosseiro as “unfortunate”. That is not the most stinging of rebukes but, coming after a similar rebuke of Rousseff herself by former president Luiz Inácio Lula da Silva, her predecessor and mentor, it hardly conveys at impression of harmony at the pinnacle of power.

    Rousseff was speaking on Saturday morning in Uruguay, where she went to sign an agreement to build a wind power plant. That evening, she reportedly cancelled dinner with a couple of ministerial colleagues and instead popped out to a local supermarket, where she bought some milk and other groceries.

    Why would she do this? It was no cynical media stunt to show Dilma mixing with the masses (in the genuinely humble style of her host, the outgoing Uruguayan president, José Pepe Mujica) – at least, if it was, nobody told any journalists. She was spotted by other shoppers, who happily put their arm round and otherwise posed for photos with the leader of the world’s seventh biggest economy.

    Dilma em supermercado no Uruguai.

    It is hard to imagine that Rousseff genuinely needed to get hold of some milk – which they have in hotels. Perhaps she just wanted a few minutes of ordinary life away from it all. Another sign of stress and strain at the top?
    http://blogs.ft.com/beyond-brics/201...e-supermarket/
    Última edição por 5ms; 02-03-2015 às 15:06.

  3. #3
    WHT-BR Top Member
    Data de Ingresso
    Dec 2010
    Posts
    15,019
    Nasdaq hits 5,000 for first time in 15 years

    The Nasdaq composite passes the 5000 milestone on Monday, a level last seen in March, 2000

    http://watch.reuters.tv/31u



  4. #4
    WHT-BR Top Member
    Data de Ingresso
    Dec 2010
    Posts
    15,019

    Brasil sil sil


  5. #5
    WHT-BR Top Member
    Data de Ingresso
    Dec 2010
    Posts
    15,019

    Economia brasileira deve ter o pior desempenho em 25 anos em 2015, prevê HSBC

    Entre os 46 países e regiões econômicas com previsões no relatório do HSBC, apenas três países devem amargar recessão em 2015: Brasil (-1,2%), Argentina (-2%) e Rússia (-3,5%).

    20/03/2015 às 19:07

    A recessão esperada para o Brasil será a mais forte em um quarto de século, segundo previsão do banco britânico HSBC. A instituição prevê contração do Produto Interno Bruto (PIB) de 1,2% em 2015. "Se nossa previsão se confirmar, será o pior desempenho para a economia brasileira em 25 anos", aponta relatório sobre as perspectivas da economia global no segundo trimestre. Em 1990, ano do governo Collor, houve contração de 4,35% do PIB. O pessimismo é explicado pelo investimento "excepcionalmente fraco" em meio à falta de confiança empresarial e problemas dos setores de petróleo e gás e construção. Outro fator negativo é a contenção do consumo pela piora do mercado de trabalho e redução da renda disponível.

    Entre os 46 países e regiões econômicas com previsões no relatório, apenas três países devem amargar recessão em 2015: Brasil, Argentina (-2%) e Rússia (-3,5%). Nenhuma economia desenvolvida deve registrar contração. Para 2016, o banco espera que o PIB brasileiro deve se recuperar com crescimento de 2,3%.

    "As expectativas para a economia brasileira continuam a deteriorar-se. Dois fatores ajudam a explicar o fraco desempenho da economia: investimento excepcionalmente fraco e contenção do consumo", diz o estudo divulgado na manhã desta sexta-feira, na capital britânica. O trecho do documento dedicado ao Brasil é assinado pelo economista-chefe do HSBC em São Paulo, Constantin Jancsó.

    Investimento - Entre as razões do pessimismo, o HSBC nota que há piora da confiança empresarial por uma série de fatores. Além da deterioração das perspectivas econômicas e das preocupações com o risco de racionamento elétrico - aspectos que já influenciavam em 2014, o relatório cita que a situação piorou com as dificuldades do setor de petróleo e gás e construção em meio às investigações sobre suposto esquema de corrupção na Petrobras. Isso deve fazer com que o volume de investimento em ativos fixos caia 8% em 2015.

    Consumo - No lado do consumo, os prognósticos também não são bons. O banco fala em queda do consumo de 0,5% neste ano, o que seria o pior desempenho da componente do PIB desde 2003. "Esperamos que as famílias sejam afetadas negativamente pela fraqueza do mercado de trabalho - projetamos que o desemprego deverá subir 2 pontos porcentuais na média em 2015 - e haverá impacto das políticas austeras do governo - o aumento dos preços das eletricidade deve cortar a renda disponível entre 1% e 2%", diz o economista.
    http://veja.abril.com.br/noticia/eco...015-preve-hsbc

Permissões de Postagem

  • Você não pode iniciar novos tópicos
  • Você não pode enviar respostas
  • Você não pode enviar anexos
  • Você não pode editar suas mensagens
  •