São Paulo - O governo do Estado de São Paulo pretende fechar até o fim deste mês um pacote de banda larga, a preço popular, para os municípios com menos de dez mil habitantes.

A iniciativa é uma expansão do Programa Banda Larga Popular, lançado pelo ex-governador José Serra, em 2009, que concede isenção de impostos para operadoras que oferecem planos de até 1Mbps a um custo mensal máximo de R$ 29,80.

A proposta é de que o governo estadual firme parcerias com pequenos provedores de banda larga, oferecendo a infraestrutura para a oferta do pacote de internet. Os municípios com menos de dez mil habitantes foram escolhidos pelo governo estadual diante da carência da oferta do serviço de banda larga pelas grandes operadoras de internet.

"O que está em estudo é uma espécie de contrato, no qual o governo estadual entraria com o financiamento na infraestrutura para que as operadoras explorem isso nas cidades pequenas", explicou um dos coordenadores da iniciativa. A ideia inicial é de que seja oferecida uma conexão de banda larga de até 1Mbps, ao valor de R$ 29,80, como já é ofertada pelo governo de São Paulo.

O Palácio dos Bandeirantes, contudo, estuda uma redução do valor, diante das isenções fiscais oferecidas pelo governo federal para o Programa Nacional de Banda Larga (PNBL). O valor final poderia chegar, na avaliação de interlocutores do governo estadual, a até R$ 27. A velocidade e o valor final da banda larga popular serão definidos nas próximas semanas. No pacote, o governo estadual pretende ainda fixar uma data para a universalização do serviço nesses pequenos municípios. A expectativa é de que seja estabelecido um prazo até 2013.

SP pretende lanar banda larga popular - Tecnologia pessoal - Not