Página 1 de 2 12 ÚltimoÚltimo
Resultados 1 a 10 de 13
  1. #1
    Quero ser Guru
    Data de Ingresso
    Nov 2010
    Posts
    34

    Lightbulb Como escolher tecnicamente o melhor DC

    Pessoal,

    Atualmente vejo que os principais requisitos para se escolher um datacenter gringo são preço, indicação de amigos ou mais conhecidos / adquiridos do mercado.
    Mas como analisar questões como velocidade, estabilidade, peering (carrier, carrier-neutral), provedores de serviços de trânsito público ou privado, análise de AS etc...?
    Acho que nós precisamos conhecer todos estes aspectos ANTES de contratar um serviço de algum datacenter de fora.

    Por que é ruim contratar um servidor da Europa ao invés dos Estados Unidos, sendo que o custo dos EUR são melhors, chegando à metade ou 1/3 do preço?
    Quais datacenter gringos tem os melhores "acordos" com os datacenters do Brasil?
    Quais os melhor datacenters do brasil em termos de conexão com o mundo (melhores rotas)?
    Quais DC devidamente "acordados" possuem rotas otimizadas para o Brasil?

    Ao menos em termos de PING dá pra gente prever um bom DC baseado nas interconexões deles com outros DC ou Provedores de serviços de trânsito.

    Percebi que ao menos pra são paulo (capital e grande são paulo) os DC Brasileiros que possuem acordos com a Global Crossing, Level 3 e Cogent tem os melhores tempos de acesso.
    Se o DC tem ótima estrutura e fica geograficamente próximo do Brasil, aí a taxa melhora ainda mais.
    Os melhores tempos que peguei foram de DC de Miami, com rotas via Cogent ou Global Crossing passando pela Embratel com ping médio de 120ms (uso Net Virtua).
    Para quem utiliza Speedy, Velox, etc... o resultado pode ser diferente, bem como a rota e as empresas envolvidas.

    Li algo sobre a Global Crossing ter comprado algo da ALOG (considerada por esta a melhor empresa do tipo no Brasil), e que a Savvis também vai montar sua estrutura no Brasil nas instalações da ALOG.
    Este tipo de conexão/acordo favorece os provedores que tem acordos com a ALOG no Brasil?

    São perguntas como estas que os mais experientes (alguém falou cresci? rs) poderiam responder pra gente, pra enriquecer o conteúdo do fórum e orientar todos nós sobre aspectos importantes na escolha de um Datacenter.


    Links úteis:
    www.robtex.com
    www.ripe.net/ris (informações em tempo real)
    Exibe as estradas DNS de um domínio, e permite o rastreamento completo de rota inclusive por gráficos pra facilitar a visualização das conexões.

    Saiba +
    Peering: É a troca direta de tráfego bilateral/multilateral, paga ou não.
    Trânsito de IP: Comprar acesso à Internet de uma operadora.

    Reunindo informações pra criar um guia de contratação de DC.
    Última edição por Ednei; 01-09-2011 às 23:12. Razão: +Informação

  2. #2
    Moderador
    Data de Ingresso
    Oct 2010
    Localização
    Rio de Janeiro
    Posts
    2,679
    Como diria Jack, vamos por partes.

    Citação Postado originalmente por Ednei Ver Post
    Atualmente vejo que os principais requisitos para se escolher um datacenter gringo são preço, indicação de amigos ou mais conhecidos / adquiridos do mercado.
    Discordo um pouco da afirmação. Eu posso dizer de cadeira (e outros confirmarem, como o próprio Winger) que o cliente brasileiro não sabe em absoluto o que quer.

    Mas como analisar questões como velocidade, estabilidade, peering (carrier, carrier-neutral), provedores de serviços de trânsito público ou privado, análise de AS etc...?
    Acho que nós precisamos conhecer todos estes aspectos ANTES de contratar um serviço de algum datacenter de fora.
    E de dentro também. Principalmente porque a conectividade no Brasil é mais sensível.

    Por que é ruim contratar um servidor da Europa ao invés dos Estados Unidos, sendo que o custo dos EUR são melhors, chegando à metade ou 1/3 do preço?
    O ditado diz que "não há almoço grátis".
    Na Europa o modelo é "mais ou menos" assim:
    - Datacenter automatizado ao máximo
    - Não oferecem intervenção manual nem suporte avançado: você que se vire
    - Não há garantia/SLA de hardware: será instalado e/ou consertado e/ou substituído "quando der" e quando for mais conveniente.
    - Nem pense em pedir suporte fim-de-semana: não vai ter ninguém lá
    - A rede será fortemente baseada em (free) peering e terá um nadica de trânsito, que será "oversold" ao extremo. Funciona muito bem, mas para dentro da Europa.
    - O ROI esperado deles é maior que nos EUA (um investidor nos EUA quer retorno em NO MÁXIMO 10 meses e atualmente com a crise querem baixar isso para 4-6 meses; na Europa isso chega a 36 meses dependendo do financiamento). O lucro esperado deles é menor que nos EUA.
    - Salários na Europa são menores que nos EUA (em geral)
    - Há apoio governamental na Europa para geração de divisas e empregos em determinados países, com benefícios fiscais.
    - Mesmo sem apoio governamental, os impostos na Europa em geral são menores que nos EUA (somando-se tudo).

    Quais datacenter gringos tem os melhores "acordos" com os datacenters do Brasil?
    Não existe acordos entre datacenters, que eu saiba.

    Quais os melhor datacenters do brasil em termos de conexão com o mundo (melhores rotas)?
    A maioria não vai ter melhores rotas. O negócio quente atualmente no Brasil é vender a alma para uma determinada operadora em troca de banda grátis ou quase grátis. Funciona assim: como o custo por mega é alto e quanto mais disparate entre entrada e saída tiver é o que valoriza o serviço, então as operadoras tentam pegar datacenters grandes, que são provedores de conteúdo, para tanto (a) economizar a saída delas para outras operadoras ou para link internacional ou (b) para ter uma base de distribuição de conteúdo que force as outras operadoras a se interconectarem a ela e começarem a pagar por esta banda. Por essas e outras que o grosso do trânsito da Locaweb é da Telefónica, o grosso do trânsito da KingHost é da Intelig, o grosso do trânsito da Inter.net é da Embratel, o grosso do trânsito da Alog é da Oi, o grosso do trânsito do Google é da Global Crossing, e por aí vai...

    Não existe ainda datacenter realmente 100% carrier-neutral no Brasil, e nem mix de carriers (carrier Tier 2) funcional no Brasil a preço decente - o primeiro Tier 2 a aparecer por aqui foi a Highwinds mas parece que já está de saída, a outra que está "subindo no conceito" é a LANautilus/TI Sparkle enquanto a TIM não resolver juntá-la com a Intelig.

    Quais DC devidamente "acordados" possuem rotas otimizadas para o Brasil?
    Alguns poucos em Miami e outros tantos em Nova Iorque, ou para a região da Teleafônica, em Washington DC. Depende se fazem peering com as operadoras BR X, Y ou Z; ou se têm carriers que fazem peering diretamente com X, Y, Z sem dar a volta em outro pedaço do país. A Oi é tranquilo fazer peering nos EUA, já a Telefónica é um parto pois não faz peering diretamente em Miami - com exceções - mas só em Washington DC (Equinix Ashburn).

    Ao menos em termos de PING dá pra gente prever um bom DC baseado nas interconexões deles com outros DC ou Provedores de serviços de trânsito.
    O menor ping é sempre pro NAP of the Americas em Miami.

    Percebi que ao menos pra são paulo (capital e grande são paulo) os DC Brasileiros que possuem acordos com a Global Crossing, Level 3 e Cogent tem os melhores tempos de acesso.
    Global Crossing sozinha não faz verão. É público e notório no mercado de Miami que eles têm problemas de capacidade naquela cidade uma ou duas vezes por ano. Level 3 é jogar com a sorte; eles fazem peering com a Telefónica em Miami mas é uma coisa muito seleta, a maior parte das rotas ainda assim é jogada para Ashburn sabe-se lá porquê. A Cogent é lixão, oversell ao extremo (em Miami chega de 1:4 a 1:8 dependendo do datacenter e switch), é instável e não deve ser usada como referência de tempo de acesso.


    Se o DC tem ótima estrutura e fica geograficamente próximo do Brasil, aí a taxa melhora ainda mais.
    Os melhores tempos que peguei foram de DC de Miami, com rotas via Cogent ou Global Crossing passando pela Embratel com ping médio de 120ms (uso Net Virtua).
    Para quem utiliza Speedy, Velox, etc... o resultado pode ser diferente, bem como a rota e as empresas envolvidas.
    Na verdade o Brasil está dividido em quatro: entre os clientes de backbone da Teleafónica, os de backbone da Oi, os de backbone da Embratel e o quarto grupo é a soma de GBLX+TISparkle+Highwinds+InTIMelig. O rubensk pode meter o bedelho e discordar dessa divisão, à vontade.

    Li algo sobre a Global Crossing ter comprado algo da ALOG (considerada por esta a melhor empresa do tipo no Brasil), e que a Savvis também vai montar sua estrutura no Brasil nas instalações da ALOG.
    Este tipo de conexão/acordo favorece os provedores que tem acordos com a ALOG no Brasil?

    São perguntas como estas que os mais experientes (alguém falou cresci? rs) poderiam responder pra gente, pra enriquecer o conteúdo do fórum e orientar todos nós sobre aspectos importantes na escolha de um Datacenter.
    Agora que estou desempregado, estou disponível para consultorias PAGAS :-)

    Não, a GBLX não precisa da Alog. No máximo a Alog deve ter comprado banda da GBLX ou a GBLX deve ter expandido a presença dentro da Alog por causa da Equinix. A GBLX Brasil tem dois datacenters beeem maiores que a Alog inteira e mais o 6o andar inteiro da Terremark Miami até 2017.

    E a Savvis não vai feder nem cheirar. Não vai ser fibra própria, nem estrutura própria, só vai estar dentro da Alog para atender um cliente grande que ninguém exceto as torcidas do Flamengo e do Corinthians sabem que é a BOVESPA e o mercado satélite disso (sistema financeiro) ligando-o com a NYSE/NASDAQ e seu respectivo mercado satélite.

    Links úteis:
    robtex.com
    Exibe as estradas DNS de um domínio, e permite o rastreamento completo de rota inclusive por gráficos pra facilitar a visualização das conexões.
    O link é inútil. O robtex é a coisa mais desatualizada do mundo.
    ripe.net/ris é ao vivo

  3. #3
    Moderador
    Data de Ingresso
    Oct 2010
    Localização
    Rio de Janeiro
    Posts
    2,679

  4. #4
    Super Moderador
    Data de Ingresso
    Sep 2010
    Localização
    Procurando...
    Posts
    4,106
    Muito obrigado pela aula professor @cresci

    PS.- vou iniciar uma campanha para arrecadar mariolas e te enviar!!
    Siga-nos em nosso twitter: @wht_brasil

  5. #5
    Super Moderador
    Data de Ingresso
    Sep 2010
    Localização
    Procurando...
    Posts
    4,106
    Discordo um pouco da afirmação. Eu posso dizer de cadeira (e outros confirmarem, como o próprio Winger) que o cliente brasileiro não sabe em absoluto o que quer.
    só confirmo! já vi ofertas incríveis aqui serem ignoradas, logo, o critério não parte de preço
    Siga-nos em nosso twitter: @wht_brasil

  6. #6
    WHT-BR Top Member
    Data de Ingresso
    Nov 2010
    Localização
    Rio de Janeiro - RJ
    Posts
    2,289
    Citação Postado originalmente por Winger Ver Post
    só confirmo! já vi ofertas incríveis aqui serem ignoradas, logo, o critério não parte de preço
    Falando por mim, o brasileiro quer suporte de qualidade. Tenho alguns VPS's, e raramente usei o suporte, quando uso é para configurar o RDNS ou para ativar licensa do cPanel. As unicas vezes que usei o suporte foi para formatar um VPS (que não tem painel), um problema no VePortal na Burst e, ainda na Burst, um VPS muito lento, e em todas as situaçoes fui bem atendido (seco, direto e problema resolvido, não gosto de puxa saquismos). Há, também tive problemas na VolumeDrive, que apesar de ser um ótimo VPS (o melhor que testei) o suporte não existia.

    Resumindo: eu quero automatização máxima e suporte quando precisar. Acho que por isso não parti para dedicado pois só em pensar em ter que pagar e ESPERAR para fazer uma formatação me faz ter calafrios.

  7. #7
    Super Moderador
    Data de Ingresso
    Sep 2010
    Localização
    Procurando...
    Posts
    4,106
    Citação Postado originalmente por tekobr Ver Post
    Falando por mim, o brasileiro quer suporte de qualidade. Tenho alguns VPS's, e raramente usei o suporte, quando uso é para configurar o RDNS ou para ativar licensa do cPanel. As unicas vezes que usei o suporte foi para formatar um VPS (que não tem painel), um problema no VePortal na Burst e, ainda na Burst, um VPS muito lento, e em todas as situaçoes fui bem atendido (seco, direto e problema resolvido, não gosto de puxa saquismos). Há, também tive problemas na VolumeDrive, que apesar de ser um ótimo VPS (o melhor que testei) o suporte não existia.

    Resumindo: eu quero automatização máxima e suporte quando precisar. Acho que por isso não parti para dedicado pois só em pensar em ter que pagar e ESPERAR para fazer uma formatação me faz ter calafrios.
    muitos datacenters oferecem a reinstalação automatizada, tipo a hetzner, alem de voce poder, sempre, instalar um painel como o hypervm e transformar o dedicado em um unico e super vps para ter estes recursos, isso na verdade, é o principio dos "smart servers".
    Siga-nos em nosso twitter: @wht_brasil

  8. #8
    WHT-BR Top Member
    Data de Ingresso
    Nov 2010
    Localização
    Rio de Janeiro - RJ
    Posts
    2,289
    Citação Postado originalmente por Winger Ver Post
    muitos datacenters oferecem a reinstalação automatizada, tipo a hetzner, alem de voce poder, sempre, instalar um painel como o hypervm e transformar o dedicado em um unico e super vps para ter estes recursos, isso na verdade, é o principio dos "smart servers".
    Sim, a Hetzner tem a reinstalação automatizada, mas o ping dela é alto demais para mim, e além disso como já foi dito o suporte deles não existe na prática (final de semana sem chances e durante a semana só quando eles quiserem e não quando você precisa). Já a Softlayer parece que tem esse sistema, mas aí o preço estraga tudo. É difícil.

    Transformar um dedicado em VPS pode ser uma solução, inclusive facilita MUITO a migração entre servidores, em 1 hora você poderá migrar tudo para um servidor maior sem dificuldade, apenas esperar o tempo de download do backup do VPS. Mas... qual o sistema que come menos recursos? Já ouvi falar que para apenas 1 VPS o OpenVZ (já ia escrever solusvm denovo!) é o mais indicado, já que o Xen consome mais recursos.

  9. #9
    Guru Junior
    Data de Ingresso
    Feb 2011
    Posts
    198
    Citação Postado originalmente por tekobr Ver Post
    Mas... qual o sistema que come menos recursos? Já ouvi falar que para apenas 1 VPS o OpenVZ (já ia escrever solusvm denovo!) é o mais indicado, já que o Xen consome mais recursos.
    Além de compreender bem o que você transcreveu em OpenVZ ou Xen: qual escolher? – Blog do Host, o que se deve questionar é sobre a gestão de um servidor virtualizando via Xen ou openVZ. Manter um servidor Xen não é "doce de leite".

    O OpenVZ pode trazer algumas barreiras e/ou demandar mais empenho para tarefas específicas em relação ao sistema operacional, mas eu usaria ele se a meta fosse flexibilizar o gerenciamento do servidor (reinstall, move, etc) para uma só VM. O benefício de ter um console virtual (simulando a funcionalidade de um KVM) ou de poder reinstalar o sistema sem depender do data center que não tem um painel que faça o que o da Softlayer faz, por exemplo, é muito grande.

    Eu rodo neste esquema, até servidores de backups, seja Xen (PV) ou openVZ. Tudo de bom!
    "Excusatio non petita, accusatio manifesta."

  10. #10
    WHT-BR Top Member
    Data de Ingresso
    Nov 2010
    Localização
    Rio de Janeiro - RJ
    Posts
    2,289
    eltern, que tipo de tarefas específicas podem ficar mais complicadas debaixo do OpenVZ?

Permissões de Postagem

  • Você não pode iniciar novos tópicos
  • Você não pode enviar respostas
  • Você não pode enviar anexos
  • Você não pode editar suas mensagens
  •